A diretoria do Paraná recebeu uma notícia desagradável na manhã desta quarta-feira. O diretor de futebol, Guto de Melo, pediu demissão depois de discordar da contratação do lateral George, de 28 anos. O jogador foi indicado por Ricardo Pinto, que conhece o lateral desde quando trabalhou no Uberaba, de MInas Gerais.

Para o dirigente, a contratação não vai de encontro às reais necessidades do time no momento, já que o Tricolor prega a chegada de nomes de peso para a sequência do Campeonato Paranaense. “Eu não tenho nada contra o George, mas entendo que o perfil que o Paraná tem que procurar pra subir está muito acima disso. Não aprovei e preferi sair. Sigo paranista, torcedor, mas não tinha como seguir e saí numa boa”, garantiu Melo.

O vice-presidente de futebol, Paulo César Silva, negou que a saída de Melo se deva somente à chegada do reforço. “Eu não esperava a saída do Guto, mas não acredito que esse tenha sido o motivo real para ele ter deixado o clube”, alfinetou o dirigente, sem mencionar os possíveis reais motivos.

George foi revelado pelo Paraná, em 2003, quando o time era comandado por Caio Júnior, mas acabou dispensado por não atender aos requisitos técnicos básicos. O jogador já passou por Rio Branco e Pato Branco, mas não atua desde agosto do ano passado, quando a Segunda Divisão do Paranaense terminou.