O Esmeraldino, apelido carinhoso para o Campeão Brasileiro de 1978, Guarani, completa neste sábado (2) uma história que já dura 100 anos. Se na década de 70, o time de Campinas protagonizou uma era de grandes conquistas, até a metade dos anos 90, hoje não tem nenhum motivo para comemorar. Dívidas que ameaçam o estádio Brinco de Ouro da Princesa e a dura realidade de disputar a Série A-2 do Campeonato Paulista são alguns dos fatos que não dão ao torcedor a chance de disfrutar o centenário do clube com tranquilidade.

As dificuldades estruturais e financeiras têm se manifestado em campo: nesta semana o Guarani foi eliminado da Copa do Brasil pelo desconhecido Horizonte, do Ceará e segue sem grandes conquistas nos últimos anos.

Quanto às dívidas do clube, especula-se que rondem a casa dos R$ 100 milhões, um valor impossível de ser pago, de acordo com o presidente do Guarani, Leonel Almeida Martins de Oliveira. Diante disso, o Brinco de Ouro da Princesa, estádio que já recebeu jogos importantes e a maior conquista do Esmeraldino, terá que ser vendido e o Bugre passará a mandar seus jogos em outro local.

Mesmo diante de um panorama de tanta dificuldade, um clube com 100 anos tem todos os méritos e não poderia ser diferente. A torcida deve acompanhar uma programação especial no estádio, com bandas e exposição de fotos histórias, além de uma missa que será realizada na capela do Brinco da Princesa.