Decisivo. É assim que o meia-atacante Geraldo, vindo da Angola, pode ser definido. Seus dribles desconcertantes, assistências e gols decisivos têm contribuído para o sucesso do Coritiba há dois anos. E querendo manter o bom desempenho no clube, o jogador renovou o seu contrato por mais dois anos.

Geraldo fez suas formação como atleta no Complexo Desportivo e Escolar Norberto de Castro, na Angola, e observado de perto pelo seu tutor Norberto de Castro. O Complexo é uma das mais importantes estruturas de formação de futebolistas do país africano e tem na figura do meia um de sues grandes expoentes.

Geraldo chegou ao Coxa em julho de 2009. No entanto, teve que aguardar até o início de 2010, quando completou 18 anos, para fazer sua estréia. E não demorou para seu bom futebol chamar a atenção. Brilhou com a camisa do Coxa e foi convocado para a Seleção da Angola por três vezes.

Foi na disputa do seu primeiro clássico pelo Coxa, em uma decisão de campeonato Paranaense, que o angolano provou que faz a diferença. Ele entrou durante a partida, em um lance de muita categoria, arrancou pela esquerda e marcou o gol do título de Campeão Paranaense 2010. Um golaço que entrou para a história.

Que o Geraldo é talentoso e bom de bola todos já sabiam, mas que ele tem competência em decisões foi uma grande descoberta. O talismã do Alviverde.
Essa facilidade de se destacar mesmo com pressão ficou mais evidente ainda no final do ano, quando o Coritiba precisava do empate contra o Icasa para garantir o título de Campeão Brasileiro da Série B. O placar estava 2×1 para o adversário e lá foi o angolano para marcar seu nome na história mais uma vez, arrancou em velocidade, fez uma bonita jogada e fez o gol do título. De novo.

Até agora, o angolano já disputou 34 partidas oficiais entre Paranaense, Brasileiro e Copa do Brasil, marcou três gols e deu três assistências. Números valorizados pelo peso que têm, como nas decisões do ano passado.