Ouça o áudio

O Atlético entrou em campo pressionado pela obrigação de vencer para continuar vivo na briga pelo Campeonato Paranaense. Depois de um primeiro tempo sofrível em campo e de uma falha grave que resultou em gol contra no início da segunda etapa, o time de Adílson Batista conseguiu se recuperar e bateu o Paranavaí de virada pelo placar de 2 a 1.Bruno Costa marcou contra e Adaílton fez os dois gols do Rubro-negro na partida.(Ouça os gols na narração de Jaques Santos no áudio acima)

A vitória deixa o Atlético, com 22 pontos, vivo no Campeonato Paranaense e impede que o rival Coritiba conquiste o título neste domingo, ainda que vença o Roma, em Apucarana.

Times apáticos e vaias da torcida

O Rubro-negro começou a partida tentando atacar, mas se deparou cou uma defesa fechada do Paranavaí. A primeira boa chance do Furacão surgiu dos pés do volante Róbston, que cruzou para Lucas, de frente para o gol, sem que o atacante conseguisse alcançar.

Sem se articular bem, o Atlético sofreu para criar no meio campo e o Paranavaí começou a esboçar algumas jogadas de ataque. Sem convencer, o Furacão passou a ouvir pedidos de “raça” da torcida, já aos 30 minutos de partida. Já no fim, Lucas recebeu de Madson e o assistente entendeu que o atacante estava impedido.

Mesmo que as duas equipes tivessem objetivos muito claros – e distintos – na competição, o primeiro tempo terminou sem que o placar fosse aberto e a pressão de resolver na etapa complementar jogava dos dois lados.

Tempo de gols

Uma falha grotesca marcou a volta para a volta final de jogo, na Arena. Aos 3 minutos, o zagueiro Bruno Costa recuou a bola para Renan Rocha, mas o goleiro não estava na meta e não conseguiu evitar o gol contra. Em desvantagem no placar, o Furacão conseguiu o empate aos 19, na linda jogada de Adaílton.

O gol acendeu o Atlético que sentiu a obrigação de vencer e partiu pra cima do visitante. Adaílton, Lucas e Branquinho chegaram forte e assustaram a defesa do ACP e a virada aconteceu ao natural. Aos 29, Adaílton, aproveitou a sobra para mandar de cabeça pro fundo das redes pela segunda vez e virar o jogo na Arena da Baixada.

O adversário não se abateu e continuou pressionando o Furacão, tanto que, aos 34, o atacante Rafael Santos bateu à queima-roupa para a defesa de Renan Rocha e, no rebote, carimbou o travessão do goleiro atleticano. Branquinho ainda teve tempo de assustar o goleiro Paulo Roberto pouco antes do apito final, mas o placar ficou mesmo em 2 a 1, em uma conquista importante para o Atlético.