Por unanimidade, o Tribunal Superior do Trabalho confirmou, nesta quarta-feira, decisão favorável ao pedido do Atlético, na ação que o time moveu contra o ex-jogador atleticano Dagoberto. A Justiça do Trabalho foi acionada após o clube requerer uma prorrogação de contrato do jogador, para compensar as partidas que o jogador se manteve afastado dos gramados por lesão.

Foram dois pedidos alternativos: um para aumento de 258 dias no contrato (desde a lesão em 2004 até o Atletiba de julho de 2005, quando ele se lesionou novamente) e outra prorrogação de 350 dias – referente ao período que vai de 2004 ao final de 2005, quando Dagoberto voltou em definitivo ao time.

Em primeira instância, o pedido do Atlético foi acatado e a Justiça determinou que o contrato de Dagoberto fosse prorrogado por 258 dias. Já na segunda instância, O Tribunal Regional do Trabalho do estado não acolheu a tese e decidiu a favor do jogador. Dagoberto alegou a invalidade da multa rescisória, mas a Justiça entendeu que a cláusula era válida.

Com o julgamento, o Atlético terá direito a receber a multa pela rescisão de contrato do jogador. Dagoberto já pagou R$ 5,4 milhões em juízo, quando deixou o clube em 2007. O jogador ainda pode recorrer da decisão e, caso isso não aconteça, o Atlético poderá retirar o valor depositado em juízo pelo atleta. Atualizada, a cifra deve se aproximar dos R$ 7 milhões.