Depois de ser alvo de uma ação movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) por violação de direitos trabalhistas, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) tem como prazo esta quinta-feira (28) para regularizar a duração da jornada de trabalho de 36 funcionários.

Segundo a denúncia do MPT, os funcionários da instituição não têm descanso semanal remunerado, além de cumprirem uma carga horária muito maior do que a devida. A Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região informa que o caso ainda deve passar por análise da Justiça e a multa para a FPF deve chegar a mais de R$ 27 mil, como punição por danos morais. A cifra representa o valor do salário mínimo multiplicado pelo número de funcionários atingidos pela violações trabalhistas: 36.

A Federação Paranaense de Futebol divulgou uma nota, em resposta à denúncia feito pelo MPT. no fim da tarde desta quinta-feira. Confira a íntegra da nota clicando aqui.