Um dos maiores da história, Roger Federer descartou aposentadoria (Divulgação/ATP)

Roger Federer não pensa em se afastar das quadras tão cedo. O suíço afirmou nesta sexta-feira (30) que espera jogar pelo menos por mais dois ou três anos e que seu pensamento está voltado para o “longo prazo” ao avaliar o seu futuro no tênis.

Federer joga desde julho, quando sofreu lesão no joelho esquerdo durante a sua participação em Wimbledon. Ele fará seu retorno às quadras na Copa Hopman, um torneio por equipes que será realizado em Perth entre os dias 1º e 7 de janeiro, representando a Suíça com Belinda Bencic.

Aos 35 anos, Federer disse nesta sexta-feira que não sabe em que nível conseguirá atuar nesse seu retorno, mas que a aposentadoria não faz parte dos seus planos. “Só quando me perguntam penso em coisas como esta”, disse Federer, dono de 17 títulos dos torneios do Grand Slam.

“Eu não vejo assim, que esta poderia ser minha última viagem para Austrália, mesmo embora possa muito bem ser”, acrescentou. “Eu sou realmente positivo. Eu fiquei esses seis meses fora, assim eu espero jogar outros dois a três anos, não apenas mais seis meses ou algo assim. Então, minha mentalidade é para o longo prazo.”

Federer não ganha um título de simples dos torneios do Grand Slam desde que venceu a edição de 2012 de Wimbledon e, com sua lesão, caiu para o 16º lugar no ranking mundial. “Ganhar títulos é um sentimento bonito, rankings nesse momento são completamente secundários”, disse Federer nesta sexta-feira. “Enquanto estiver saudável e livre de lesões acho que posso fazer algum estrago.”

Federer e Bencic vão jogar contra a Grã-Bretanha, representada por Heather Wilson e Dan Evans na próxima segunda-feira, em Perth. A Copa Hopman começará no domingo com dois confrontos. República Checa (Lucie Hradecka e Adam Pavlasek) x Estados Unidos (Coco Vandeweghe e Jack Sock) e Austrália (Daria Gavrilova e Nick Kyrgios) x Espanha (Lara Arruabarrena e Feliciano López). A Austrália é a atual campeã da competição.