Chape recebeu doações de empresas (Divulgação/Chapecoense)

Um grupo formado por 15 empresas passou a ser o maior doador às famílias das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense. O montante entregue pelas marcas é superior a R$ 3,8 milhões. Todas são anunciantes da Rede Globo e tiveram os seus nomes divulgados pela emissora na quarta-feira (25), durante a transmissão do amistoso entre Brasil e Colômbia.

A doação é três vezes superior à bilheteria da partida no Engenhão – R$ 1,2 milhão -, que também será repassada à Chapecoense depois de descontados os custos para a realização do encontro. A expectativa do clube catarinense era de que a venda de ingressos do jogo chegasse a pelo menos R$ 3 milhões. Dos 45 mil bilhetes colocados à venda, foram comercializados apenas 18 mil.

A Chapecoense também recebeu R$ 5 milhões da CBF, mas, por contrato, esse dinheiro deveria ser usado exclusivamente para a remontagem do elenco e não poderia ser repassado aos familiares das vítimas.

A lista de marcas que se uniram para fazer doações é formada por Coca-Cola, Habib’s, Havaianas, Instituto General Motors, Ipiranga, Johnson & Johnson, McDonald’s, Mentos, Neo Química, Net, Ricardo Eletro, Sadia, Sky, Tramontina e FMU. O montante total de doações foi de R$ 3.856.320,00.

A iniciativa partiu da Rede Globo. Em nota, a emissora informa que “nosso papel foi o de mobilização”. A ESPN, outra emissora a transmitir a partida, afirmou que também vai fazer uma doação financeira para ajudar as vítimas da tragédia.

A CBF não tinha consolidado até esta quinta-feira o valor líquido da arrecadação. Outra modalidade foi a do ingresso solidário, vendido a R$ 50 e destinado a pessoas que não iriam ao jogo.

Apesar de o público não ter lotado o estádio, o possível montante a ser doado para as famílias estará acima das expectativas da Chapecoense por causas das doações feitas pelas empresas. A diretoria fez como projeção otimista receber até R$ 4 milhões. Porém, entre o valor líquido da bilheteria, ingressos sociais e doações, o montante deve ficar perto dos R$ 5 milhões

Todas as arrecadações serão reunidas em uma conta gerida pela Chapecoense. A partir dela, os familiares das vítimas poderão realizar as transferências. O clube quer dividir igualmente todo o valor recebido entre as 67 vítimas brasileiras da queda do avião. Mesmo parentes de jornalistas e convidados que não tinham vínculo com o time estão na lista de destinatários.

LEILÃO – O São Paulo deve repassar nos próximos dias os R$ 148,5 mil arrecadados em um leilão virtual organizado em dezembro com as camisas usadas no último jogo do time em 2016. O dinheiro irá para a conta administrada pela Chapecoense.

Contra o Santa Cruz, no Pacaembu, pelo Campeonato Brasileiro, os jogadores vestiram peças na cor preta com o nome de cada um dos atletas da Chapecoense e o escudo do clube. Foram a leilão as 46 camisas feitas para os integrantes do elenco que estavam relacionados para a partida.