No auge de uma das fases mais importantes da história do clube, o Coritiba está prestes a bater uma marca histórica, caso consiga vencer o Caxias no confronto desta noite. A campanha no Paranaense e na Copa do Brasil já levaram o Alviverde a igualar o Palmeiras, que conquistou a marca de 21 vitórias consecutivas, em 1996.

Assim, mesmo o placar elástico que o time do Alto da Glória construiu no jogo de ida, quando venceu o Caxias por 4 a 0, no Couto Pereira, não deve acomodar o time, afinal a vitória é importante para superar a marca palmeirense e se isolar no recorde nacional.

Na busca pelos gols, o técnico Marcelo Oliveira não poderá contar com a sua dupla de ataque titular: enquanto Marcos Aurélio, lesionado, está vetado pelo departamento médico do clube, Bill, artilheiro do time, cumpre suspensão pela expulsão no primeiro confronto. Para Leonardo, substituto do atacante suspenso, a vantagem deve facilitar a busca pela meta. “É uma marca importante e vamos pensando em segurar o Caxias lá, se classificar e ao mesmo tempo conseguir vencer”, explica.

Cleiton, gaúcho de nascimento, terá sua chance entre os titulares no lugar de Pereira, que sentiu cansaço muscular. O zagueiro acha que essa é a hora de pensar nos recordes. “A gente tem que procurar metas para motivar, e esse jogo é interessante por isso: para a gente bater o recorde do Brasil de vitórias seguidas em todos os tempos”, torce Cleiton.

Cautela

O discurso comedido do técnico Marcelo Oliveira quase não faz lembrar a goleada coxa-branca já na partida de ida das oitavas de final. O treinados aponta que a vantagem, mesmo expressiva, não dá o direito de o time já pensar no Palmeiras. “Vamos utilizar essa vantagem, se as circunstâncias do jogo nos remeter a ela, assim como uma vitória e a quebra de recorde”, discursa.