A presidente Dilma Rousseff comandou uma reunião, nesta terça-feira, em Brasília, com diversos prefeitos e governadores de todo o país. O assunto do encontro foi Copa do Mundo de 2014 e andamento das obras nas 12 cidades que vão receber partidas do Mundial. O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, esteve na reunião e garantiu à presidente que as obras na capital paranaense já estão em andamento e dentro dos prazos determinados pelo governo.

“Estamos dentro dos prazos acordados com o governo federal. A presidente disse que as obras do PAC da Copa têm que ser licitadas até dezembro deste ano. Nossos projetos já estão prontos e em análise pela Caixa Econômica Federal. Curitiba está cumprindo rigorosamente o que está previsto no PAC da Copa”, analisou o prefeito, que esteve na companhia do governador Beto Richa, que também participou do encontro.

De acordo com Ducci, Curitiba receberá R$ 222 milhões do PAC da Copa para realização de diversas obras, que trarão melhorias para a população mesmo depois do Mundial de 2014. Além disso, três grandes projetos de infraestrutura já estão em fase de aprovação pela Caixa Econômica Federal. Caso a Caixa aprove tais projetos, eles já poderão entrar em fase de licitação e serão iniciados entre agosto e outubro deste ano. “São obras importantes e estruturantes que ficarão para a cidade como legado da Copa”, explicou Ducci.

O governador Beto Richa manteve o discurso do prefeito e também garantiu para Dilma Rousseff que todas as obras em Curitiba estarão prontas antes da Copa de 2014. “Estaremos prontos e com infraestrutura adequada para receber os jogos. O Estado está fazendo todo o esforço necessário para realizar uma grande Copa do Mundo. Nosso objetivo é ser a melhor sede do Mundial”, destacou o governador.

Obras que serão realizadas em Curitiba para a Copa de 2014

– Corredor Aeroporto/Rodoferroviária
investimento: R$ 65.789.473,68
Financiamento R$ 62.500.000,00
Recursos Prefeitura R$ 3.289.473,68
As obras terão uma extensão de 10 mil metros na Avenida das Torres, entre a rua Engenheiros Rebouças até a divisa com São José dos Pinhais.

Corredor avenida Cândido de Abreu
investimento: R$ 5.157.894,74
Financiamento R$ 4.900.000,00
Recursos da Prefeitura R$ 257.894,74
A obra consiste numa intervenção total na via, refazendo-se os passeios laterais, mais a criação de um calçadão central para pedestres com largura média de 17 metros, onde serão implantadas as estações de embarque e desembarque de passageiros e equipamentos públicos.

– BRT extensão da Linha Verde Sul
investimento: R$ 19.473.684,21
Financiamento R$ 18.500.000,00
Recursos Prefeitura R$ 973.684,95
A obra proposta consiste em estender a Linha Verde Sul, do Pinheirinho, até o Contorno Sul, com as mesmas características.

– Requalificação do corredor Marechal Floriano –
investimento: R$ 21.052.631,58
Financiamento R$ 20.000.000,00
Recursos da Prefeitura R$ 1.052.631,58
A obra proposta consiste na recuperação do eixo no trecho entre o Terminal do Carmo e a Rua Pastor Antônio Polito (2.350,00 metros), e a duplicação, com implantação de canaleta exclusiva para ônibus, até a divisa com São José dos Pinhais (1.650,00 metros). Também será alargado o viaduto que cruza a estrada férrea.

– Requalificação da Rodoferroviária e seus acessos
Investimento: R$ 36.842.105,26
Financiamento R$ 35.000.000,00
Recursos prefeitura municipal R$ 1.842.105,26
A obra proposta consiste na reforma e ampliação do prédio (subsolo, térreo, pavimento superior e cobertura), áreas de estacionamento, acesso de veículos e pedestres e um viaduto ligando Av. Affonso Camargo à Av. Comendador Franco.

– Reforma e ampliação do Terminal Santa Cândida
Investimento: R$ 12.631.578,95
Financiamento R$ 12.000.000,00
Recursos da Prefeitura R$ 631.578,95
A obra consiste na ampliação do terminal, na recuperação da cobertura, substituição dos pisos das plataformas e na melhora das condições de acesso e segurança dos usuários entre outros.

– Sistema Integrado de Mobilidade – SIM
Investimento: R$ 61.263.157,89
Financiamento: R$ 58.200.000,00
Recursos da Prefeitura: R$ 3.063.157,89
As obras consistem em ações e atividades de planejamento, operação, fiscalização, controle e coleta de dados, além de informações aos usuários, através de sistemas e equipamentos diversos, com prioridade para o transporte coletivo.