A esperança de voltar a vencer tem para o Tricolor nome e sobrenome. Ricardo Pinto, novo comandante do time, anunciado ontem, chegou na Vila Capanema com o dircurso de quem quer fazer história no clube. A missão do treinador não será nada fácil: com apenas dois pontos conquistados em dez rodadas do Paranaense e a última posição na tabela, o Paraná tem que fazer um segundo turno praticamente impecável para afastar qualquer chance de se rebaixado para a Série Prata do estadual.

“A gente já teve tempo suficiente pra encontrar o que acha melhor para o momento, esse processo foi acelerado. Temos treinado sempre que temos condição e o contato tá sendo muito direto”, garantiu o novo técnico, que já está de olho no próximo desafio do Paraná, diante do Gurupi, pela Copa do Brasil. “O Ageu me passou tudo o que nós temos de qualidade e dificuldade, inclusive do adversário. Nós estamos muito confiantes de que o time vai ter outra atitude com relação ao Gurupi”, afirma, esbanjando otimismo.

O lateral-direito Paulo Henrique confirma o ambiente de renovação do time. “Ânimo novo, vida nova pra todo mundo. Ele tem passado algumas coisas novas, principalmente na marcação. Agora temos duas partidas em casa pra tentar mudar isso, ganhar um pouco mais de confiança, já que a ansiedade tem atrapalhado muito”, destacou o jogador. “O time tá envergonhado da nossa campanha. Já apassou da hora de vencer”, cravou.

Ricardo Pinto chega como o Salvador da Pátria Paranista e o seu discurso não deixa dúvidas quanto à vontade de reerguer o Tricolor. ” A torcida pode esperar tudo de nós. Estamos chegando da maneira mais simples possível, mas com muita força de vontade e dedicação. Tudo está sendo feito pra a torcida, para que ela seja feliz e pare de sofrer essas dificuldades. Esse é o principal papel de todo clube de futebol, seu principal patrimônio”, arremata o novo comandante.

O Paraná não vence uma partida oficial desde o ano passado. De lá pra cá, foram 12 jogos sem conquistar nenhum resultado positivo. Para tentar reverter o péssimo histórico, Pinto já pensa em mudança de postura, principlamente na defesa paranista. “A ideia básica é marcar melhor, evitarmos surpresas negativas. Não sofrendo gols, estamos na próxima fase da Copa do Brasil. O principal é jogarmos, botar esses meninos que têm muita velocidade pra poder aproveitar o potencial e os espaços”, arquiteta.

Se o ambiente não é dos melhores, o técnico destaca que a vontade é de recuperar a confiança do elenco. “O momento não é de total tranquilidade, mas nessas conversas que estamos tendo, tentamos passar a alegria de jogar futebol com vitórias. Eles estão conscientes de que têm um potencial muito grande e que esse potencial será aumentado com alegria e responsabilidade”, finaliza o treinador.