A vitória por 2×0 sobre o Ypiranga, na noite desta quinta-feira, também foi um presente a um dos maiores ícones da história coxa-branca. Dos 101 anos de vida do Coritiba, 45 deles tiveram a dedicação e o suor de Dirceu Krüger, que chegou ao clube no dia 24 de fevereiro de 1966.

E por isso, os elogios também foram a ele, afinal não é todo dia que alguém chega a uma marca tão expressiva. “É um exemplo como jogador, de profissional e pessoa. Já nos confrontamos muitas vezes e hoje tem participação incentivando e apoiando o dia a dia de trabalho. Isso nos estimula, fortalece a trabalhar cada vez mais. Estou falando do Krüger que tem participado muito do nosso trabalho”, revelou o técnico Marcelo Oliveira ao final da partida.

E não é a toa que Krüger foi o primeiro atleta, que ainda em vida, recebeu em sua homenagem uma bandeira da torcida coxa-branca, que a cada partida está no Alto da Glória. Foi jogador, treinador, auxiliar, coordenador das categorias de base. E mais do que isso, foi campeão estadual inúmeras vezes, do Torneio do Povo e Campeão Brasileiro, entre outros títulos e feitos. Hoje, é ídolo de diversas gerações, até mesmo daqueles que às vezes não o viram jogar. Krüger, em alemão, siginifica guerreiro e a ideintificação com o clube que tem sua alma guerreira não poderia ser diferente.

E não poderia ser diferente. Pé quente, ele viu o Coxa passar de fase na Copa do Brasil e seguir sonhando com uma caminhada que leve a uma inédita e sonhada conquista. “Quero agradecer as palavras. Fico muito feliz, realizado por hoje fazer 45 anos de casa e o Marcelo me dar esse presente com essa grande vitória e participação de todos os componentes dessa equipe”, disse o ídolo.

Por isso “no vestiário me fizeram essa surpresa agradável, me homenageando neste momento mais sagrado dos atletas, no pós-jogo. E todos eles me deram parabéns, de modo que a gente fica emocionado, mesmo após 45 anos representando o Coritiba. É algo que me deixou muito feliz”, finaliza.