Diego e Robinho surgiram como sensação no Santos em 2002 (Divulgação/Santos FC)

O Jogo da Amizade, entre Brasil e Colômbia, nesta quarta-feira (25), às 21h45, no Engenhão, será uma oportunidade para a torcida rever a parceria entre Diego e Robinho. A dupla, que fez sucesso no Santos, não atua junto pelo Brasil desde 2008. Na ocasião, a seleção empatou sem gols com a Bolívia no mesmo palco do jogo desta quarta.

Os dois são amigos desde a época da base no clube paulista, pelo qual foram os grandes nomes da conquista do Brasileirão de 2002, e ainda costumam se encontrar fora de campo. É por isso que a chance de voltarem a tabelar dentro das quatro linhas anima os jogadores. “É especial. Temos tido vários reencontros fora do futebol – nas férias agora estivemos juntos, com a família -, e reencontrá-lo na seleção brasileira torna esta convocação ainda mais especial”, disse o meia Diego ao chegar ao hotel do Rio que serve de concentração para o Brasil.

“São vários os motivos de alegria e satisfação. Tenho muito orgulho de estar aqui de volta, depois de um tempo (sem ser convocado). Estar na seleção é, sem dúvida, mais do que especial Desde o meu retorno ao Brasil eu tenho tido gratas surpresas graças a um trabalho coletivo e individual bem feito. É o momento de aproveitar a oportunidade da melhor forma possível”, continuou o meia do Flamengo.

Mais experiente jogador da seleção, Robinho se disse na expectativa. “É bom, estou muito motivado para render uma homenagem às vítimas da Chapecoense”, comentou. “Uma vez jogamos (Diego e ele) como os mais novos, agora talvez como os mais velhos. Mas será com a mesma alegria e motivação”, reforçou.

Mesmo feliz com a reedição da dupla, Diego lembrou o caráter solidário da partida, que irá arrecadar fundos para os familiares das vítimas do voo da Chapecoense. “Tem que aproveitar para ser solidário da melhor forma possível. É um amistoso, temos de ajudar aqueles que se envolveram no trágico acidente da Chapecoense”, destacou.