Por Luiz Henrique de Oliveira

PET E MANOEL DENTRO

(Foto: Montagem Divulgação)

“Deus só tem um: e tá no céu, não na terra”. Foi esta a declaração dada por Nerco Cirne, empresário do zagueiro Manoel, afastado do elenco atleticano pela diretoria neste fim de semana. Ele disse isso ao jornal Tribunal do Paraná desta segunda-feira (14), ao ser questionado sobre a decisão tomada pelo presidente Mario Celso Petraglia.

De acordo com o empresário, que também representa o ex-atleticano Paulo Baier, o zagueiro ficou revoltado com a nota publicada pelo clube, o acusando de falta de comprometimento: “A nota é ridícula”, afirmou Cirne ao periódico. Ele fez questão de lembrar que, em 2011, o atleta deixou de ir ao enterro do pai para enfrentar o Santos, no dia 29 de outubro.

Manoel  tem contrato com o Atlético até o final de 2015 e, segundo Cirne, a decisão foi tomada porque o zagueiro não tinha interesse em prorrogar o vínculo. “O presidente já havia prometido negociar o Manoel várias vezes e nunca cumpriu a palavra. Dessa vez ele não quis renovar e o cara, que se acha Deus, fica com raiva quando não consegue alguma coisa”, falou à Tribuna.

O empresário também descreveu que o jogador se sente tranquilo por ter visto que “200% da torcida” o apoia. Ele ainda destacou que Manoel vai fazer até o final do contrato exatamente o que está escrito na nota: treinar. O zagueiro não tem intenção de ser negociado e seu empresário disparou na entrevista ao jornal: “Não adianta chamar ele de volta depois de tomar 4 do Grêmio”, partida que será disputada no próximo fim de semana pela 1° rodada do Campeonato Brasileiro, em Florianópolis.

Por fim, o empresário deixou claro que o jogador só vai jogar pelo Atlético novamente se uma nova diretoria assumir no final do ano e que estuda entrar na justiça devido à nota divulgada. Ele também destacou que o clube tem ‘questões financeiras’ a serem acertadas com relação ao salário dos últimos meses.

Relembre a matéria sobre o afastamento de Manoel na notícia relacionada abaixo:

Zagueiro Manoel é afastado do Atlético-PR e torcida diz que diretoria ‘errou de português’