No futebol, Dagoberto nasceu nos berços do Atlético-PR e, na equipe rubro-negra, viveu grandes momentos desde que estreou no grupo principal, em 2001. O apogeu do jogador aconteceu três anos depois, quando o era o principal goleador do time antes de lesionar o joelho esquerdo e ficar quase dez meses afastado. Entre idas e vindas, nesse período, começaram as disputas judiciais entre ele e o Atlético, fato que marcou o o jogador, que sentiu na pele o que ele chama de “fúria” do torcedor atleticano;

Wander Roberto/VIPCOMM
Jogador evita passar por Curitiba desde confusão com torcedores

Quando não vivia mais em Curitiba, Dagoberto lembra de um episódio que marcou a má fase que viveu com a torcida do Furacão. Após uma partida do Campeonato Brasileiro, o jogador foi a uma pizzaria com conhecidos e, lá, foi reconhecido e hostilizado por um torcedor. O agressor chegou a sair da pizzaria e voltar com outros torcedores que fizeram uma espécie de protesto em frente ao lugar onde estava Dagoberto.

A saída do atacante foi deixar o local, e pela porta dos fundos para não ser ainda mais humilhado pelos torcedores. Desde então, Dagoberto evita passar por Curitiba e, sempre que pode, evita também jogar por aqui.