estadao_conteudo_cor

Cristiano Ronaldo ganhou a primeira edição após a separação do prêmio. (France Football)

Cristiano Ronaldo ganhou a primeira edição após a separação do prêmio. (France Football)

Campeão europeu duas vezes neste ano, pelo Real Madrid e pela seleção de Portugal, o atacante Cristiano Ronaldo conquistou nesta segunda-feira a Bola de Ouro, concedido pela revista France Football. O jogador português, que faturou o prêmio pela quarta vez na carreira, afirmou que nunca imaginou acumular tantos conquistas de melhor do mundo.

“Para mim, é uma grande honra ganhar minha quarta Bola de Ouro. A emoção é como a primeira vez, é um sonho novamente se tornando realidade. Nunca imaginei que ganharia quatro vezes. Estou muito feliz”, declarou o português de 31 anos, eleito o melhor do mundo neste ano pela revista francesa.

Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor do ano por causa das grandes performances pelo Real Madrid e pela seleção portuguesa. Pelo time espanhol, faturou a Liga dos Campeões. E, logo em seguida, tornou a Eurocopa a maior conquista da história da sua seleção, na França, em julho.

“Faltava ganhar um título importante com Portugal e foi um dos momentos mais importantes da minha vida. E sem esquecer da Liga dos Campeões, da qual foi o artilheiro e o melhor jogador”, disse o português, em entrevista gravada anteriormente – Cristiano Ronaldo está no Japão com o Real Madrid para a disputa do Mundial de Clubes da Fifa.

“Aproveito a oportunidade para agradecer a todos os meus colegas de time, tanto da seleção quanto do Real Madrid. Me sinto tão orgulhoso e feliz”, afirmou o jogador que marcou 51 gols em 54 jogos pela seleção e pelo time espanhol neste ano. Apesar dos números incríveis, foi sua pior marca desde 2008.

O jogador já tinha três Bolas de Ouro na carreira, antes de brilhar ao longo de 2016. A primeira foi obtida em 2008, quando ainda vestia a camisa do Manchester United. Na época, o prêmio era apenas concedido pela revista France Football. Também faturou a premiação em 2013 e 2014, quando o prêmio já era entregue em parceria pela revista e pela Fifa.

O acordo entre a publicação e a entidade máxima do futebol teve início em 2010 e durou até 2015. Em seu “retorno às origens”, neste ano, a premiação voltou a ser decidida somente por um grupo de jornalistas escolhidos pela própria revista, sem a participação de técnicos e capitães das seleções nacionais, como acontecia ao longo da parceria com a Fifa.

No entanto, houve mudanças em relação aos primeiros anos da Bola de Ouro. A France Football fez uma seleção prévia de 30 jogadores nos quais os jornalistas puderam votar, e não mais 23, como acontecia até 2009. Além disso, a revista não anunciou os três finalistas, somente o vencedor.

A Bola de Ouro é a premiação mais antiga na seleção do melhor jogador do mundo. De 1956 a 2009, a revista France Football realizou a tradicional eleição de forma independente, premiando os mais diversos nomes, desde Alfredo Di Stéfano e Lev Yashin até Cristiano Ronaldo e Messi.