Se contra o Palmeiras o Coritiba pôde se dar o luxo de perder a segunda partida que ainda assim conseguiu a classificação para as semifinais da Copa do Brasil, contra o Ceará, o panorama deve se impor com mais dificuldades, segundo a previsão do técnico Marcelo Oliveira. Tanto porque agora o “poder de fogo” alviverde já é conhecido e estudado pelos adversários, quanto porque nesta reta final, qualquer deslize pode comprometer toda a boa campanha.

“O futebol tem muitas teorias. Teoricamente o São Paulo era favorito diante do Avaí, por exemplo. Haviam 64 equipes e agora são quatro. E as quatro que seguem na competição são fortes e não há favoritismo”, analisa o técnico Marcelo Oliveira, que aponta a torcida do Ceará como ponto principal de pressão sobre o Coritiba no jogo de quarta-feira (18).

Na análise, o treinador alviverde destaca a experiência do elenco cearense, que, segundo ele, é muito organizado taticamente. “É uma equipe que marca forte, experiente, com jogadores que já participaram de outros grandes clubes. Dentro do campo deles tem o torcedor que incentiva muito. Mas certamente nós vamos estar preparados para isso”, garante.

Para Marcelo Oliveira o time perdeu quando era amparado pelo regulamento, ou seja, em hora boa, segundo o olhar do comandante. Para ele, a pressão em ampliar a série de vitórias diminui depois do revés diante do Palmeiras, o que deve aliviar a responsabilidade do elenco. “Eu me preparo sempre para conquistar vitórias, mas nem sempre elas são possíveis. Mas acho que foi até um bom momento para que isso acontecesse, tiramos este peso. Atingimos um recorde que ficou para a história e talvez não seja batido em tempo curto”, apontou o treinador.