O Coritiba confirmou, nesta terça-feira (19), um novo patrocinador de camisa, a Limagrain-Guerra. Esta empresa internacional de agronegócios na área de sementes constituída recentemente no Paraná, que iniciará a exposição de sua marca no Brasil e América Latina, será destaque na camisa coxa-branca. Por isto, a partir da próxima partida do Campeonato Paranaense, entre Coritiba e Atlético-PR, as iniciais L e G estarão expostas na omoplata alviverde.O Coritiba, diante da área de interesse da empresa, também terá visibilidade no meio rural, o que é inédito em termos de patrocínio de clubes de grandes centros, no Brasil.

A novidade já deu o que falar nas últimas semanas, pois, desde a partida diante do Caxias (RS), pela Copa do Brasil, o clube vem utilizando um ponto de interrogação no local pretendido de exposição da nova logomarca. O “segredo” agora é revelado.

“Há tempos o Coritiba não contava com um mix de empresas parceiras tão importantes. Com o patrocínio da Limagrain-Guerra, damos um grande passo na valorização de nossas propriedades. Em nossa camisa, hoje, temos três empresas nacionais de altíssima relevância econômica e social. Agora, com essa nova parceria de âmbito global daremos mais visibilidade ao Coxa”, disse o vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade. Segundo ele, esta parceria rompe uma nova barreira no Brasil, considerando a união da quarta empresa do mercado mundial e a líder no continente, no ramo do agronegócio. “Não há dúvidas de que poucos clubes do país alcançaram este nível”, acrescentou.

A primeira grande empresa internacional de agronegócios na área de sementes com sede no interior do Paraná (Pato Branco, Sudoeste) optou pelo patrocínio ao Coritiba, justamente, porque o clube vem provando na prática que tem grande potencial de mercado, em termo de exposição de marcas. O pensamento do diretor da nova empresa, Ricardo Guerra, é consonante aos objetivos do clube. “Não nascemos para ser coadjuvantes; nascemos para ser a maior do Paraná e da América do Sul. Buscamos avançar, com posicionamento profissional e estratégico, através de uma visão de longo prazo e investimentos”, diz.

A nova patrocinadora do Coxa é formada pela cooperativa francesa Limagrain e a paranaense Sementes Guerra. A união busca um novo posicionamento em termos de mercado no Brasil e na América Latina. Já conhecida do público paranaense e, sobretudo dos coxa-brancas, a família Guerra há algum tempo vem apostando nas propriedades do clube. Certamente, o retorno de marca alcançado com a exposição foi a sustentação para que a parceria permanecesse e agregasse a nova parceira européia, disse Guerra.

“Não houve dificuldade nenhuma na decisão de investir no Coritiba com a nova empresa”, disse Ricardo. “Diante do posicionamento do Coritiba, da visibilidade nacional e internacional do time; afinal, a visibilidade que o clube terá com o novo acordo com a televisão, que aconteceu graças a um excelente acordo com várias transmissões abertas, aliado ao trabalho competente do marketing, foram fatores que pesaram para avançarmos na decisão”, acrescentou o executivo.

Além do ineditismo de ser uma empresa global do ramo do agronegócio, a nova parceria eleva o clube paranaense a um patamar ainda não alcançado. Segundo as avaliações de mercado, os números revelam uma supervalorização das propriedades comerciais do Coritiba, principalmente da camisa alviverde, objeto de prestígio no meio empresarial, que revela cada vez mais interesse pelo espaço.

De modo geral, “notamos que o clube está em um nível elevado de importância quando falamos em patrocínio. Há uma avaliação que indica esta tendência devido ao prestigio e seriedade do trabalho e gestão e do rendimento dentro de campo, nos últimos meses”, pondera o vice-presidente Vilson Ribeiro de Andrade. “São elemento cíclicos, os quais uma coisa leva a outra. Se houve uma reformulação estrutural e de gestão, há resultados, conceito de mercado e, consequentemente, interesse de parceiros desta magnitude”, completa.

Negócios de gigantes

O investimento da cooperativa francesa para constituir a Limagrain-Guerra, com a aquisição da maioria do capital das Sementes Guerra, representou um negócio da ordem de mais de R$ 90 milhões de reais. A Limagrain é a quarta maior empresa mundial de sementes e líder européia no setor, contando com faturamento anual de 1,4 bilhão de Euros, atendendo a 38 países. Pela grandeza da empresa européia e a tradição da Guerra, o empreendimento é considerado um marco no cenário do agronegócio nacional.

O envolvimento das duas empresas deverá movimentar ainda o setor de sementes no Brasil e Américal Latina, sobretudo no incremento da produção de soja, trigo, milho, feijão, hortaliças e na indústria alimentícia. Agora, a estratégia da nova empresa é conquistar novas fatias do mercado na America do Sul, iniciando pela conquista de 10% do mercado nacional.