Entre melhoras elétricas e nos banheiros do estádio, o clube prevê o aumento da capacidade para 42 mil torcedores com o fechamento da curva da Mauá. As obras também preveem a construção de cabines especiais de imprensa em cima do setor e já estão autorizadas pela prefeitura.

Greyson Assunção/Banda B
Dirigente esteve no Balanço Esportivo desta terça-feira

Em entrevista à Rádio Banda B, o vice-presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade explicou o objetivo das mudanças no estádio. “A área a ser adquirida tem 18 alqueires (o CT da Graciosa conta com apenas 3) de tamanho e deve custar R$ 50 mil aos cofres alviverdes. Andrade explica que o clube conta com um investidos que irá auxiliar no financiamento do espaço e que nas próximas duas semanas novidades devem vir por aí. “Na minha visão é um sonho fazer isso. Se tudo der certo, em um ano estamos com o novo CT. Nós podemos colocar lá dez campos, um ginásio coberto, dependências para trazer 120 crianças do Qatar para treinarem aqui”, espera.

A intenção é construir 62 quartos especiais para os atletas, além de levar para dentro das instalações do clube uma escola e até uma universidade. Tudo isso será viabilizado, segundo o dirigente, graças ao aumento na receita do clube, conquistada em grande parte com a forte adesão dos sócios. “Temos um planejamento de cinco anos e conquistamos coisas surpreendentes neste ano. Chegar em 30 mil sócios foi minha maior alegria, quando falei nisso ano passado me chamaram de sonhador”, lembra. “Nós provamos que com um time competitivo podemos ir longe. Ainda precisamos resolver muitas coisas em função do passado, temos que cumprir nossas obrigações, mas estou muito feliz de estar no futebol”, finaliza.

É um projeto antigo, mas nós o reformulamos. Vamos desmanchar as cadeiras cobertas e devemos fazer mais 50 camarotes. A imprensa vai ter entrada independente e uma cobertura especial”, apontou o dirigente, que também confirmou a compra do terreno que vai abrigar o novo centro de treinamentos do Coritiba.