O Coritiba inaugurou o seu Juizado Especial Criminal no clássico deste domingo (20), diante do Atlético-PR. Na inauguração, estiveram presentes autoridades do poder judiciário do estadio, o presidente do clube, Jair Cirino e o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Gláucio Geara.

A instauração do juizado, que também serve de base para as Polícias Militar e Civil, IML, psicólogos e Justiça Presente, atende uma obrigatoriedade imposta na capital, onde todos os estádios devem contar com uma unidade de segurança como essa.
“O Coritiba é um grande clube que sofreu a mais severa punição e sabe como é importante para a justiça ter os clubes ao seu lado. É por isso que temos orgulho de inaugurar o Juizado Especial Criminal no Couto Pereira para acabar com os focos de violência dentro e ao redor do estádio”, disse Jair Cirino.

O advogado René Dotti, que foi o defensor do Coritiba em 2010, quando o time amargou a maior punição da história do futebol brasileiro. “É uma atitude extraordinária que une o Juizado Especial a um clube centenário na prevenção de delitos. Esperamos que haja gritos da torcida, mas que eles sejam sempre de alegria e apoio ao time”, afirmou Dotti.

O Juizado vai funcionar duas horas antes das partidas realizadas no Couto Pereira e atende até que todas as ocorrências sejam solucionadas. O local atende as imediações até um raio de cinco quilômetros do estádio.