estadao_conteudo_cor-4

A partida não aconteceu na Arena Condá e as duas equipes levaram W.O duplo (Divulgação/Chapecoense)

A partida não aconteceu na Arena Condá e as duas equipes levaram W.O duplo (Divulgação/Chapecoense)

O W.O. duplo na partida entre Chapecoense e Atlético Mineiro, pela rodada final do Campeonato Brasileiro, está confirmado. Neste domingo, todos os protocolos e formalidades para a sua oficialização foram realizados na vazia Arena Condá, que seria o palco da partida.

Placas de publicidade, bandeirinhas de escanteio, o portal que faz parte da solenidade de entrada em campo dos times, com um espaço reservado para a bola do jogo, foram colocadas no campo da Arena Condá. Além disso, uma ambulância, exigência para realização dos jogos, também estava lá.

O quarteto de arbitragem, da federação catarinense, escalado pela CBF também compareceu ao estádio. Rodrigo D’Alonso Ferreira foi o juiz, tendo Henrique Neu Ribeiro e Johnny Barros de Oliveira como assistentes. Já Evandro Tiago Bender foi o quarto árbitro.

Depois de 30 minutos após o horário previsto para o início do jogo, que foi marcado para as 17 horas, o árbitro deu por encerrado o duelo com o W.O. duplo. Na prática, para a tabela do Brasileirão, isso significa, que os dois times foram derrotados por 3 a 0.

Os efeitos práticos do resultado, porém, são mínimos. O Atlético-MG somou 62 pontos nas 37 rodadas anteriores, o que lhe assegurou antecipadamente o quarto lugar no Brasileirão e uma vaga na fase de grupos da próxima edição da Copa Libertadores. A Chapecoense somou 52, ficando na zona intermediária da classificação e também vai jogar a Libertadores após ser declarado campeão da Copa Sul-Americana pela Conmebol.

Nas primeiras horas de 29 de novembro, o avião que levava a Chapecoense para o primeiro duelo da final, diante do Atlético Nacional, em Medellín, se acidentou, provocando 71 mortes. Posteriormente, Chapecoense e Atlético-MG decidiram não entrar em campo para a rodada final do Brasileirão.