Brasileiro Fabinho marcou um dos gols da classificação do Mônaco. (Reprodução/Twitter/Champions League)

Após levar 5 a 3 do Manchester City no jogo de ida, o Monaco surpreendeu nesta quarta-feira ao reverter a derrota com um triunfo por 3 a 1, em casa, no Stade Louis II, confirmando seu impressionante poder ofensivo exibido na temporada europeia até agora. Com o resultado, o Monaco avançou às quartas de final da Liga dos Campeões e eliminou o time comandado pelo técnico Josep Guardiola.

O time da casa se classificou graças aos gols marcados fora de casa. E também em razão do forte ritmo exibido por seu ataque nesta quarta. O time do Principado localizado em Montecarlo chegou a marca de 126 gols na temporada – são 84 gols somente no Campeonato Francês, do qual é líder com folga.

O Monaco buscou a classificação mesmo sem a presença de Falcao Garcia, seu principal atacante. Destaque no jogo de ida, o colombiano sofreu lesão no fim de semana e desfalcou a equipe. Sem Garcia, o time contou com gols do brasileiro Fabinho, Mbappé e Bakayoko – o zagueiro Jemerson também foi titular nesta quarta

Pelo Manchester City, Fernandinho começou jogando. O time inglês estava invicto há 11 jogos em todas as competições que disputa nesta temporada.

Agora o Monaco aguarda o sorteio de sexta-feira para conhecer seu adversário das quartas de final na principal competição europeia.

O JOGO – Dono de poderoso ataque, mesmo sem Falcao Garcia, o Monaco foi para cima assim que o árbitro apitou pela primeira vez e os anfitriões impuseram pressão sobre o time de Guardiola. Logo aos 6 minutos, o goleiro Caballero já fazia grande defesa ao evitar gol de Mbappé, em chute à queima-roupa, quase da marca do pênalti.

Apenas um minuto depois, o Monaco mostrou por que tem um dos melhores ataques da atual temporada europeia. Pela esquerda, Bernardo bateu forte e cruzado e o mesmo Mbappé, na pequena área, só desviou para as redes. Em grande ritmo, o Monaco chegou a balançar as redes novamente aos 15, mas a arbitragem assinalou o correto impedimento no lance.

Assustado, o Manchester City tentava conter o volume de jogo do Monaco aumentando a presença no meio-campo. Mas não conseguia frear a velocidade dos anfitriões. Tanto que, aos 28, Mendy investiu pela esquerda e cruzou rasteiro. O brasileiro Fabinho bateu rápido no meio do gol e venceu o goleiro Caballero.

Com o placar de 2 a 0, o Monaco tinha o placar que o garantia nas quartas de final, por ter feito gols fora de casa. Ciente disso, o Manchester cresceu no início da segunda etapa e buscou seu gol aos 26 minutos. Sterling fez jogada individual e bateu da entrada da área. O goleiro fez a defesa, mas deu rebote. E Sané, sem marcação dentro da área, encheu o pé para marcar o gol dos ingleses.

Sem se abater com o gol que o eliminava da Liga, o Monaco seguia com a postura mais ofensiva. E, mesmo sem o volume do primeiro tempo, a equipe da casa anotou o terceiro e decisivo gol aos 31 minutos. Bakayoko, sem qualquer marcação, anotou bela cabeçada, completando cobrança de falta na área. Caballero pulou no canto, mas não rápido o suficiente para evitar o gol que classificava o Monaco.

O gol que trouxe alívio à torcida local aconteceu justamente no momento em que o City crescia em campo e apresentava maiores ameaças. Mas, com o terceiro gol do Monaco, o time inglês se abateu e passou a atacar sem organização. Mais sólido na defesa e no meio-campo, o Monaco sustentou a vantagem até o apito final