A saga do Botafogo na Copa Libertadores ganhou mais um capítulo emocionante e de sobrevivência. Após perder para o Olimpia, no tempo normal, por 1 a 0, mesmo resultado do seu triunfo no Rio, na semana passada, o time contou com a estrela de Gatito Fernández, que defendeu três cobranças e garantiu a classificação com a vitória por 3 a 1 na disputa de pênaltis, nesta quarta-feira, no Defensores del Chaco. O resultado pela terceira fase eliminatória garantiu o time na fase de grupos da competição sul-americana.

O Olimpia foi o segundo campeão da Libertadores a ser eliminado pelo Botafogo. Em confronto também dramático na fase anterior, o Botafogo deixou para trás o Colo Colo, do Chile. Após os dois confrontos de superação, os brasileiros garantiram lugar no Grupo 2, ao lado de Barcelona de Guayaquil, Atlético Nacional e Estudiantes. O último será o adversário no dia 14, no estádio do Engenhão, em sua estreia nesta etapa da competição.

O início sonolento contra o Colo Colo, quando sofreu gol aos dois minutos do primeiro tempo na segunda fase e teve de se recuperar, serviu de lição. Na base da experiência, o Botafogo diminuiu a velocidade do jogo, com forte marcação e ritmo cadenciado ao recuperar a posse de bola. Sem abdicar ao ataque, também arriscou, com Camilo, em chute para fora, aos dez minutos

Em disputa contra o tempo, o Olimpia era neutralizado, enquanto os minutos corriam. Sem conseguir penetrar na área, teve de recorrer ao jogo aéreo, mas sem sucesso. A falta de efetividade começou a frustrar a torcida, que se dividia em apoio e críticas ao time paraguaio. Com vários cruzamentos, o goleiro Helton Leite teve de entrar em ação e conseguiu dar segurança ao time.

Mas os dez minutos finais do primeiro tempo trouxeram problemas para o Botafogo. Primeiro por conta dos amarelos para Marcelo e Carli. Depois pela finalização de Ortiz. Helton Leite deu rebote, mas Victor Luis salvou o time antes da finalização paraguaia.

A pressão do Olimpia se intensificou no segundo tempo, principalmente quando Roque Santa Cruz entrou em campo. No primeiro lance, o centroavante ajeitou de cabeça para Benítez, mas a defesa conseguiu travar o meia. Após perder o jovem Matheus Fernandes, o Botafogo também sofreu com a lesão de Helton Leite, que sentiu dores na coxa direita e foi substituído por Gatito Fernández.

No fim das contas, a troca de goleiros deu uma esfriada na partida. Sem a mesma agressividade dos primeiros minutos, o Olimpia passou a trocar passes sem objetivo, enquanto o Botafogo se fechou na defesa e abriu mão do ataque, com Rodrigo Pimpão isolado no setor ofensivo.

Já no desespero, o Olimpia voltou a explorar o jogo aéreo. Em uma delas, Bogado teve a chance de marcar, mas errou o alvo. Depois foi Roque Santa Cruz, que parou em Gatito Fernández. A diferença é que dessa vez o Botafogo sentiu a pressão e perdeu o controle. Foi ameaçado ainda por Ortiz até ceder e sofrer o gol

Aos 34 minutos, após erro defensivo, Brian Montenegro ficou livre na área e chutou de esquerda para fazer 1 a 0. Foi só a partir do gol que o Botafogo tentou equilibrar as ações. Mas os dois times ficaram mais preocupados em não sofrer um gol que seria o da eliminação e aguardaram os pênaltis.

Melhor para o Botafogo. Com atuação de gala, Gatito Fernández defendeu os pênaltis de Ortiz, Mendoza e Benítez. O único que o goleiro do time brasileiro não pegou foi o de Rodi Ferreira. Com eficiência máxima, Camilo, Rodrigo Pimpão e Victor Luís não desperdiçaram e garantiram a equipe carioca na próxima fase da Libertadores.