Greyson Assunção/Banda B
Presidente da FPF Hélio Cury: “Já passou da hora. Cada dia que você acorda, a dívida aumenta”

Dos 89 clubes afiliados à Federação Paranaense de Futebol (FPF), apenas 38 compareceram à sede do Trieste nesta quinta-feira (01) para definir, em assembleia-geral, os rumos do Estádio do Pinheirão. Desses, 36, já que Paraná Clube e Corinthians-PR não puderam votar por falta de procuração específica, foram unânimes ao decidir pela negociação da praça esportiva, que está lacrada pela justiça há mais de quatro anos.

O presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Cury, que demostrava confiança na decisão dos clubes pela venda, garante que o estádio já despertou interesse de pelo menos cinco times. “No momento nós estamos numa crise muito grande com as dívidas da federação, então não temos outra saída”, aponta Cury. “Já tivemos várias conversas e grande procura de empresários e construtoras. A hora de conversar é agora”, completa.

Segundo levantamento feito pela própria FPF, o Pinheirão está avaliado em cerca de R$ 66 milhões. As dívidas do estádio, porém, ultrapassam os R$ 60 milhões: para o o INSS, a entidade tem débito de cerca de R$ 40 milhões; de IPTU, a dívida chega a R$ 8 milhões e com o Atlético a federação tem uma pendência que de aproximadamente R$ 15 milhões. “O Atlético entra numa escala de recebimento”, esclarece o presidente da FPF. “Primeiro quitamos as dívidas com os Governos Federal e Municipal e aí vem o clube”, emenda.

Na assembleia, o presidente do Atlético, Marcos Malucelli, fez questão de destacar a dívida da federação em ata. O advogado do clube, Gil Justen, diz que o Atlético é favorável à negociação do estádio, mas que não abre mão de receber a cifra referente à penhora. “O Atlético não quer atrapalhar a federação, mas tem que defender seu patrimônio”, afirma Justen.

O leilão para a venda do Estádio do Pinheirão está marcado para o início de outubro, mas, até lá, a entidade espera já ter iniciado as conversas com construtoras e clubes interessados na praça esportiva.

Confira o vídeo: