Por Felipe Dalke e Monique Vilela

O treinamento do Paraná, nesta sexta-feira (14), visando o clássico contra o Atlético pelas quartas de final do Campeonato Paranaense que acontecerá no final de semana, expôs uma situação nada boa na Vila Olímpica, onde o treino aconteceu. O vice-presidente de futebol, Celso Bittencourt, admitiu que os funcionários da sede do clube no Boqueirão entraram em greve faz dois dias e a diretoria está trabalhando para tentar colocar todos os pagamentos em dia.

De acordo com Celso, a situação foi exposta justamente para que o clube pudesse se posicionar, já que não adiantaria de nada esconder toda essa situação. “Ocorreu esse problema fazem dois dias e resolvemos fazer esse treinamento aqui no Boqueirão justamente para abrir para a imprensa e expor a situação porque não adianta esconder, uma hora ou outra todos vão ficar sabendo”, contou o vice-presidente de futebol.

O motivo da greve, como sempre, é a questão do Paraná ter muitos funcionários em todas as suas sedes. “Nós temos vários pontos do Paraná, como o Boqueirão, a Vila Capanema, a Kennedy com todos os funcionários, além é claro dos jogadores e comissão técnica”, garante Celso.

A greve de todos os funcionários que trabalham na Vila Olímpica, como seguranças, porteiros, cozinheiros e todos os outros deve finalizar apenas na próxima semana, quando tudo for quitado. “Quando se tem dificuldades e começa a pagar uma área e a outra não, os problemas só aumentam, então, resolvemos mostrar o problema e é uma realidade nossa. Estamos trabalhando para resolver e tentando que até na próxima semana, todos tenham suas situações iguais e até o final do mês colocar tudo em dia”, concluiu Celso Bittencourt.