Everton Luiz deixou o campo chorando (Divulgação)

O clássico entre Partizan e Rad, dois times de Belgrado, na Sérvia, foi manchado no domingo por cenas de racismo contra um jogador brasileiro, o meia Everton Luiz. Atleta do Partizan, que jogava fora de casa, ele foi alvo de cânticos racistas por parte da torcida do Rad, que imitava um macaco.

Ao fim do jogo, irritado, ele se dirigiu à torcida mostrando o dedo do meio. Os rivais do Red não entenderam e foram para cima do brasileiro. Alguns atletas dos dois times conseguiram apaziguar os ânimos, aparentemente explicando o motivo da revolta de Everton.

Quando as coisas se acalmaram, Everton começou a chorar, sendo consolado pelos companheiros. Já os atletas do Red se uniram para aplaudir a torcida que havia insultado o brasileiro.

Em comunicado, o Partizan disse que “condena veementemente cânticos racistas dirigidos a Everton”, que são “completamente contrários ao compromisso e à opinião da grande maioria dos cidadãos da Sérvia e todos os fãs do Partizan”.

“Condenamos fortemente os autores deste ato insensato, que não só é racista, mas é também um ato de ódio contra o Partizan e todos os cidadãos da Sérvia. Estamos confiantes de que Rad não está de forma alguma relacionado com as cenas desagradáveis e acreditamos que este evento vergonhoso não vai estragar o nosso esporte e nossa amizade”, continua o clube de Everton.

A nota se encerra com o Partizan dizendo que “se sente obrigado a pedir desculpas a todos aqueles que são ofendidos e afetados por cânticos racistas”. O Partizan venceu por 1 a 0, mas segue a seis pontos do líder Estrela Vermelha após 22 rodadas do Campeonato Sérvio.