Já classificada para as oitavas de final, a seleção brasileira masculina foi superada pela Noruega por 39 a 26, nesta terça-feira, no Mundial de Handebol, em Nantes, na França. A equipe comandada por Washington Nunes começou bem no jogo, mas deixou o rendimento cair no segundo tempo e sofreu a segunda derrota na primeira fase da competição – a primeira foi contra os donos da casa na estreia.

Com duas vitórias em quatro partidas, o Brasil soma quatro pontos e está na quarta posição no Grupo A, à frente de Polônia e Japão – os lanternas, que ainda não pontuaram, se enfrentam nesta terça-feira. Já a Noruega chegou aos seis pontos e ocupa provisoriamente a segunda colocação, atrás da líder França, que soma seis e fecha a rodada diante da Rússia, que está com quatro, para se manter na ponta isolada.

Na próxima quinta-feira, os brasileiros pegam os russos na última rodada da fase preliminar. A vitória é fundamental para que o Brasil escale uma posição no Grupo A e fuja do primeiro colocado do Grupo B na fase mata-mata, posto que atualmente é ocupado pela Espanha, de Jordi Ribera, ex-técnico da seleção brasileira.

O time de Washington Nunes sofreu um importante desfalque para o restante da competição no último domingo. O capitão da equipe, Thiagus Petrus, rompeu o tendão do músculo adutor longo do lado direito no jogo contra o Japão e acabou cortado. O armador esquerdo Leonardo Dutra, do Pinheiros, foi convocado para substitui-lo.

O Brasil começou bem na partida, acompanhando o ritmo veloz da Noruega e impedindo que o adversário escapasse no placar. Com Henrique Teixeira e Zé Guilherme na armação, a seleção brasileira encontrou espaço na defesa adversária para se manter na cola dos noruegueses, que, por outro lado, souberam explorar o pivô Myrhol para comandar o jogo em Nantes.

No fim do primeiro tempo, o Brasil cometeu algumas falhas e viu o goleiro Bergerud fazer importantes defesas. O norueguês Sagosen aproveitou a falta de concentração dos brasileiros para ampliar a vantagem de sua equipe. Se a diferença no placar durante quase toda a primeira etapa foi de dois gols, no minuto final saltou para cinco e a Noruega foi para o intervalo com 18 a 13 no placar.

A pausa não foi suficiente para que o Brasil se reencontrasse na partida. No início do segundo tempo, os brasileiros pareriam perdidos taticamente no ataque e, com erros de passe, acabaram deixando os rivais crescerem no jogo. Os contra-ataques da Noruega não davam chance para o goleiro Bombom. A apatia dos brasileiros continuou, e o placar ficou cada vez mais elástico até o apito final com a vitória norueguesa por 39 a 26.