O técnico Marcelo Oliveira poderá contar com o atacante Bill para o jogo decisivo desta quarta-feira, diante do Ceará, pelas semifinais da Copa do Brasil. O atacante foi julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) depois de ser expulso na partida com o Palmeiras, mas a procuradoria optou por aplicar apenas uma advertência ao jogador, denunciado por praticar jogada violenta, segundo prevê o texto do artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

O advogado do Coritiba, Itamar Cortes, alegou que, ao contrário do que a súmula exibia, os vídeos mostravam que Bill não havia acertado o rosto do jogador palmeirense. Outro ponto defendido por Cortes foi que a penalidade aplicada veio depois de um segundo cartão amarelo, menos grave que um cartão vermelho. “Ele é um atleta disciplinado e a defesa requer a sua absolvição“, agregou o advogado, lembrando que a primeira expulsão do jogador em 2011 foi devida a uma comemoração excessiva e não por qualquer violência em campo.