Falar em Atlético e Botafogo em campo é falar em ataque competente. Isso porque nas 32 vezes que as equipes se enfrentaram, entre Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana, em apenas uma oportunidade o placar terminou fechado: em 2009, pela Sul-Americana, na Arena da Baixada. Goleadas são raras e estão agrupadas no ano de 2006. quando as duas equipes fizeram as vezes de visitantes mal intencionados: primeiro o Atlético que mandou um sonoro 4 x 0 na casa do Bota; a resposta veio no mesmo tom, quando o time carioca bateu o Furacão por 5 a 0 na Arena da Baixada.

Em Brasileirões, o confronto aconteceu 28 vezes e a vantagem é rubro-negra. Foram 14 vitórias atleticanas, nove do Botafogo e cinco empates. No retrospecto recente, o Furacão assinou três triunfos nas últimas quatro partidas e a outra terminou empatada.

Botafogo quer recuperação

Após perder em casa para o líder Corinthians pelo placar de 2 a 0 e completar três jogos sem vitória, o Botafogo vem a Curitiba com esperança de reabilitação sobre o Atlético, que também encara a partida como decisiva. Para o jogo do próximo sábado (23), o técnico Caio Júnior não poderá contar com o atacante Herrera, suspenso pelo terceiro cartão amarelo que levou no confronto com o Timão.

O eleito imediato para substituir o argentino é Alexandre Oliveira, recém-chegado dos Emirados Árabes e ainda longe da forma física ideal. No elenco, outra opção pode ser Alex, único jogador com as mesmas características de Herrera no grupo alvinegro.