Alexandre Vidal/Flamengo
Ronaldinho Gaúcho entrou no segundo tempo e marcou o gol da vitória

Atlético e Flamengo fizeram um jogo equilibrado na largada da Copa Sul-Americana, mas um único lance definiu os rumos da partida. Centrado, o Furacão conseguiu se segurar da pressão comandada por Jael e Ronaldinho Gaúcho, mas aos 35 minutos, o mesmo Santos que fez boas defesas, cometeu falta dentro da área e não conseguiu segurar o pênalti que deu a vitória ao time carioca.

Do lado atleticano, Cleber Santana teve grandes chances de assinar seu gol, mas Felipe foi um obstáculo difícil de ultrapassar. A partida terminou em 1 a 0 e, para o jogo de volta que será realizado na Arena da Baixada no próximo dia 24, o Atlético tem que venceu por um gol de diferença para seguir na competição.

Equilíbrio em campo

Em campo, os dois times reservas começaram a partida dispostos a mostrar serviço. Mesmo com o chute perigoso de Jael logo a 4 minutos, o Furacão se apresentou bem e não recuou, avançando no comando de Cleber Santana. A falta de entrosamento, tanto do time carioca quando do Rubro-negro paranaense ficou mais evidente nos seguidos erros de passe no meio campo.

Rodriguinho deixou o campo machucado e Edigar Junio entrou com a missão de balançar as redes. Obrigado pelo Atlético a centralizar o jogo, o Flamengo também não tinha criatividade para ligar as jogadas de ataque. Foi na reta final da primeira etapa que os dois times tiveram as melhores chances de abrir o placar. Pelo Atlético, Cleber Santana, que recebeu cobrança de escanteio e mandou por cima e pelo Flamengo, Jael que girou bonito na entrada da área e bateu firme, obrigando Santos a fazer boa defesa.

Furacão se segura, mas pênalti define

O Atlético voltou mais ousado para o segundo tempo. Consciente de que a vitória era possível, o time passou a arriscar mais e apostar nas jogadas individuais para furar a marcação. E quando o Flamengo tomava a iniciativa, Luxembrugo ousou e colocou em campo, de uma só vez, Thiago Neves, Renato e Ronaldinho Gaúcho, na tentativa de resolver o jogo.

E a postura do time não poderia ser diferente: o trio Botinelli, Ronaldinho e Thiago Neves, com o apoio do sempre atento Jael passou a infernizar a zaga do Furacão, que teve que se desdobrar para evitar o gol flamenguista. Fechado, o Atlético contou com a defesa salvadora de Santos do chutaço de Renato no que foi apenas um dos vários lances de perigo à meta atleticana.

Fechado, o Atlético já confirmava o empate quando Ronaldinho colocou Jael na cara do gol e Santos recorreu à falta para frear o ataque. Pênalti marcado pelo árbitro e convertido por Ronaldinho, aos 36 do segundo tempo. Cleber Santana teve ainda outra boa chance de marcar, mas, novamente acabou parando na defesa do experiente Felipe. Com o 1 a 0, o Atlético tem a obrigação de vencer por um gol de diferença a partida de volta para seguir na Sul-Americana.