Ouça o áudio

Sete rodadas, nenhuma vitória. Os números do Atlético se superam a cada nova partida e a crise parece não ter fim. O time comandado pelo interino Leandro Niehues não segurou o fraco Fluminense e foi derrotado por 3 a 1 no Engenhão com um gol de Mariano e dois do jovem Ciro pelo time carioca e Edigar, substituto de Paulo Baier no Rubro-negro, no segundo tempo. O sexto resultado negativo no Brasileirão dá a lanterna ao Furacão, que só tem um ponto e dois gols marcados na competição. (Ouça o único gol do Furacão na partida com a narração de Jaques Santos)

O próximo desafio do Atlético é o Internacional, em Porto Alegre, na próxima quarta-feira (06), às 19h30, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

Jogo morno e bobeira da zaga

A pressão pela vitória não deixou o Atlético se organizar na meia-cancha e o último passe insistia em não sair. O Fluminense não oferecia muita resistência, mas era superior em campo e conseguia preencher os espaços. Com mais velocidade que a zaga atleticana, Ciro e Mariano protagonizaram os principais lances de ataque do Tricolor carioca.

Marcado pelos erros de passe, o primeiro tempo foi feio no Engenhão. A única boa oportunidade de gol do Atlético aconteceu aos 40 minutos, quando Branquinho insistiu e a bola acabou saindo pela esqueda do goleiro Diego Cavalieri. O que o Furacão não esperava era que em dois minutos o Fluminense marcaria dois de seus três gols na partida. Aos 41, Mariano recebeu pela direita e se livrou da marcação de Branquinho pra fazer o primeiro. Pouco depois, Ciro recebeu também pelo lado direito e conseguiu deixar Rafael Santos na saudade pra ampliar e fazer o seu primeiro tento na Série A do Brasileirão.

Três mudanças e pouco resultado

A etapa complementar começou tão lenta quanto foi o primeiro tempo. Mesmo assim, o time de Abel Braga conseguiu chegar ao terceiro gol, novamente com Ciro. Gum carimbou a trave e, no rebote, Rafael Santos cabeceou pra trás e a bola sobrou com o atacante do Flu, que, sozinho, só teve o trabalho de empurrar pras redes. Na tentativa de pelo menos livrar o Furacão de um vexame maior, Niehues sacou Branquinho para a entrada de Guerrón e Paulo Baier foi substituído por Edigar.

As chances apareceram, mas as finalizações de Guerrón e Nieto, ambas desperdiçadas na falta de capricho dos atleticanos, foram inimigas do time atleticano no jogo. Kléberson, que entrou no lugar de Mádson, também teve seu momento de tentar marcar, mas acabou comprometido pela falta de capricho. O único momento de felicidade do Furacão aconteceu já no apagar das luzes, com o jovem Edigar, que entrou na área entre dois zagueiros e, de cabeça, fez o gol de honra do Atlético, aos 41. O tento não evitou que o Rubro-negro saísse de campo com a sexta derrota no Brasileirão.