Em sua estreia na Copa do Brasil, o Atlético deu vexame no Acre ao perder para o desconhecido Rio Branco por 2 a 1 com mais uma apresentação ruim em campo. O adversário do rubro-negro fez hoje sua primeira partida oficial na temporada, já que o campeonato acreano só começa semana que vem e o Rio Branco vinha treinando há pouco mais de um mês.

O Furacão chegou a estar perdendo por 2 a 0 depois de desperdiçar inúmeras oportunidades de gol no início do jogo. A equipe conseguiu, ao menos, marcar um gol fora de casa que dá a vantagem do Atlético vencer na Arena da Baixada por 1 a 0 que assim avança para a segunda fase da competição. De qualquer forma, foi-se por água abaixo as esperanças da torcida rubro-negra de eliminar o jogo de volta já nesta quarta-feira.

Primeiro tempo

O jogo começou movimentado no Acre, com boas chances para as duas equipes. Aos 2 minutos, Lucas deixou Paulinho na cara do gol adversário, mas o lateral bateu em cima do goleiro André. Aos 6, Jonas fez fila na defesa do Atlético e bateu bonito, mas a bola arrancou tinta da trave rubro-negra. Nieto ainda desperdiçou duas oportunidades de abrir o placar, aos 3 e aos 9 minutos. Aos 12, Branquinho arriscou pela linha de fundo com muito perigo.

O Furacão dominava o jogo e criava boas oportunidades, mas pecava nas finalizações e desperdiçava muitos gols. Aos 19, Anselmo soltou uma bomba e Sílvio fez boa defesa. Aos 23, o time da casa chegou a balançar as redes, mas o gol de Juliano César foi anulado por impedimento. E mesmo com o Atlético melhor em campo, foi o Rio Branco quem abriu o placar. Aos 28 minutos, Juliano César cabeceou sozinho na pequena área: 1 a 0 Rio Branco.

Depois de abrir o placar, o time acreano se animou e marcou o segundo logo em seguida, aos 34 minutos. Jonas cobrou falta para a área, mais uma vez o sistema defensivo do Atlético falhou, e Alê cabeceou contra a própria meta: 2 a 0 Rio Branco. E aí o Furacão se desarrumou de vez em campo e não teve forças para diminuir o placar ainda no primeiro tempo.

Segundo tempo

O Atlético voltou um pouco mais ligado para a etapa final e quase descontou aos 5 minutos, em chute forte de Madson que André espalmou. O Furacão pressionava, mas seguia pecando nas finalizações. Aos 21, Lucas bateu no ângulo e André fez uma defesa espetacular. Aos 30, novamente André salvou o Rio Branco ao defender bom arremate de Guerrón, que havia acabado de entrar em campo.

Até que, aos 32 minutos, Guerrón foi derrubado dentro da área e o juiz marcou a penalidade máxima. Lucas bateu com categoria, marcou o gol, mas o árbitro mandou voltar a cobrança alegando invasão de área. Na segunda tentativa, novamente Lucas balançou as redes, descontando para o Furacão: 2 a 1 Rio Branco. Aos 45,Caniggia apareceu em condições de marcar e Sílvio fez grande defesa. Aos 49, Ananias recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo. O Furacão ainda teve uma falta perigosa e um escanteio, mas não conseguiu empatar a partida, que terminou mesmo em 2 a 1.

FICHA TÉCNICO

RIO BRANCO

André; Jonas (Canigia), Rodrigão, Rafael e Ananias; Paulinho Pitbull (Paulista), Wendell, Ismael e Ancelmo (Abimael), Testinha e Juliano César.Técnico: Ico

ATLÉTICO

Silvio, Wágner Diniz, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Alê (Guerrón), Kléberson, Branquinho (Héracles) e Madson; Lucas e Nieto (Wescley).Técnico: Leandro Niehues

Local: Arena da Floresta – Rio Branco (AC)

Árbitro: Wágner Reway (MT)

Auxiliares: Fábio Rodrigo Rubinho (MT) e Paulo César Silva Faria (MT)

Público: 10.750 pagantes

Renda: R$: 155.000,00

Cartões amarelos: Paulinho Pitbull, Testinha e Wendell (RB) Nieto (CAP)

Cartões vermelhos: Ananias (RB)

Gols: Juliano César, 28’/1ºT (1-0); Alê (contra), 34’/1ºT (2-0); Lucas, 34’/2ºT (2-1).