Conca foi apresentado oficialmente (Divulgação/Flamengo)

Ídolo das torcidas de Fluminense e Vasco, o meia Darío Conca recebeu, nesta sexta-feira, a camisa 19 do Flamengo, que ele deverá vestir a partir de maio. O argentino, contratado enquanto se recupera de uma grave lesão no joelho esquerdo, foi apresentado no Ninho do Urubu evitando entrar em polêmicas sobre a decisão de voltar ao Brasil para jogar no maior rival dos clubes onde é ídolo. Também falou sobre a expectativa para a volta aos gramados.

“Vesti duas camisas aqui no Rio e sempre serei grato aos clubes que passei”, disse, fugindo de polêmicas, quando questionado pelos repórteres. “O Fla-Flu terá muita importância, mas o importante é pensar e saber que o treinador e todos vão trabalhar para que as coisas aconteçam”, completou, político.

Mesmo quando perguntado sobre a diferença entre jogar entre cada um dos três clubes, evitou minimizar o tamanho dos rivais que defendeu. “A pressão é a mesma. O mais importante é respeitar o clube e os companheiros”, apontou. “Vestir mais uma camisa aqui no futebol brasileiro é muito importante para mim.”

O principal motivo de Conca ter escolhido o Flamengo sempre foi segredo: ele foi seduzido pela possibilidade de uma atenção especial ao tratamento que faz no joelho operado.

“Apesar do momento difícil na minha carreira, o Flamengo me abriu as portas”, agradeceu o argentino. “Pensava que ia ficar muito tempo sem jogar, que seria difícil, mas as portas abriram para eu vir para um grande clube. O planejamento foi perfeito. Poder vestir a camisa do Flamengo será motivo de orgulho para mim.”

A escolha pelo número 19 também foi tema na entrevista coletiva. Afinal, esse não é um número tradicionalmente eleito por um jogador que chega com status de craque. Conca explicou assim: “Escolhi porque nunca repeti número. Foi isso só. Eu gosto desse nove também. Não tem nada.”