A partida de nove gols entre Santos e Flamengo não foi marcada apenas pelos acertos. O meia Elano, do Santos, perdeu um pênalti que poderia ser decisivo para a vitória do Peixe, quando o placar estava em 3 a 2 para o time da Vila Belmiro. Logo na sequência, o Flamengo conseguiu o gol de empate e, no fim de partida, virou o jogo para 5 a 4.

O lance crucial aconteceu ainda no primeiro tempo depois de Neymar ser empurrado dentro da área por Willians. Elano foi para a cobrança e, displicente, deu uma cavadinha que parou nas mãos do goleiro rubro-negro Felipe. Após o lance, o jogador recebeu vaias da torcida alvinegra. Elano assumiu o erro, mas não negou estar descontente com a atitude dos torcedores.

“Não estou disposto a passar por essas situações (vaias). Prefiro ir embora. Principalmente porque eu tenho cinco anos de clube e quatro títulos, inclusive uma Libertadores. Minha trajetória é de coisas boas e títulos e não de erros”, afirmou o jogador.

Elano passou por momentos difíceis nas últimas semanas, além de perder os pênaltis pela seleção brasileira e pelo Santos, o pai do atleta foi refém de assaltantes e, no dia seguinte, ameaçado de sequestro.

“Meu funcionário me ligou avisando que meu pai estava amarrado no sítio. Invadiram e levaram algumas coisas, inclusive minhas camisas da Seleção que eu dei para ele. Felizmente, na hora eles não sabiam que era meu pai. Ontem (na última terça-feira), já sabendo, voltaram para sequestrá-lo, mas não conseguiram”, explicou Elano.