Da Redação com UFC

Foto: Divulgação UFC/Getty Images

Após mais de quatro anos de jejum, Anderson Silva saiu vitorioso do octógono do UFC na madrugada deste domingo (12). A frase, tão comum durante o longo reinado do maior campeão da história do Ultimate, foi motivo de emoção para ele.

Após todos os dramas que atravessou nos últimos anos, o ex-campeão dos médios superou Derek Brunson por decisão unânime dos jurados, conquistando sua primeira vitória no octógono desde 2012 e não escondeu o alívio ao final do duelo: “Estou muito feliz. Obrigado”, disse um emotivo Spider, arrancando aplausos do público de Nova York.

Contra um Brunson mais cauteloso do que o normal, Anderson adotou uma postura mais ofensiva e caminhou para frente durante a maior parte da luta. O brasileiro mostrou estar com a defesa de quedas em dia e frustrou as entradas do norte-americano durante quase toda a luta, indo para o chão pela primeira vez apenas nos últimos dois minutos do combate.

Em pé, o Spider mostrou sua boa e velha criatividade, confundindo Brunson, marcando pontos, e empolgando o público. Como havia prometido, o brasileiro volta, com a vitória, ao caminho rumo à reconquista do cinturão que por muitos anos foi seu.

“Eu trabalho duro há muito tempo para lutar aqui. Eu sempre coloco meu coração aqui. Às vezes tenho dores nas pernas, nas costas. Às vezes digo para minha família que vou treinar por três ou quatro meses, e quando venho aqui, é para dar o meu melhor para todos”, disse Anderson ao fim do duelo. “Sei que estou muito velho para lutar, todos os caras aqui são mais rápidos e mais fortes que eu, mas eu coloco meu coração aqui, porque lutar é minha vida”.