Sobrevivente da tragédia, Jackson Follman passou novamente por cirurgia (Divulgação/Chapecoense)

O goleiro Jackson Follmann se recupera bem da cirurgia no tornozelo a qual foi submetido na tarde da última segunda-feira (2). Único sobrevivente da tragédia aérea da Chapecoense que ainda está internado, ele ainda não tem previsão de alta hospitalar.

O procedimento foi necessário para impedir que o goleiro sofra nova amputação e deverá fazer com que o atleta perca totalmente o movimento em troca da diminuição da dor naquela articulação.

Segundo a diretora hospitalar da Unimed Chapecó, Carolina Cipriani Ponzi, o Follmann foi submetido à artrodese do tornozelo esquerdo (procedimento para fusão óssea da articulação). A cirurgia, que durou três horas, ocorreu normalmente.

Foi colocada uma haste intramedular para a fixação do tornozelo. Na mesma ocasião, a equipe revisou novamente o coto de amputação do membro inferior direito, que se encontra em franco processo de cicatrização, sem sinais de processo infeccioso evidente.

A equipe cirúrgica contou com as participações do médico ortopedista da Chapecoense Carlos Henrique Mendonça e dos médicos cooperados da Unimed Chapecó Marcos André Sonagli e Alexandre Bernardi (ortopedistas), Gustavo Colonheze (cirurgião plástico), além de equipe de anestesia da ANEST.

Os outros cinco sobreviventes do acidente que matou 71 pessoas no dia 29 de novembro na Colômbia – o lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto e o jornalista Rafael Henzel, além da comissária boliviana Ximena Suárez Otterburg e do técnico de aviação Erwin Tumiri, também da Bolívia – foram liberados e se recuperam bem do acidente.