Após a derrota de ontem por 3 a 0 para o Atlético-MG, em Sete Lagoas, o técnico Adilson Batista foi apontado por muitas pessoas como culpado pelo resultado ruim logo na estreia do Campeonato Brasileiro. Isso porque o treinador armou o Atlético com quatro volantes no meio-campo, apenas Paulo Baier na armação de jogadas e Guerrón isolado no ataque.

Mas o treinador não pensa dessa maneira e não culpou o esquema tático defensivo pela derrota em Minas Gerais. “Erramos em posicionamento, bola parada, desatenção. Tivemos um pouco de dificuldade, mas não acredito que tenha sido na formação do time. Se tivéssemos entrado com três meias poderíamos tomar cinco gols e iriam criticar que deveríamos ter fechado o time. Temos que analisar o jogo como um todo. Em determinados momentos tivemos o domínio, com toque de bola”, disse Adilson Batista.

O comandante rubro-negro também elogiou a qualidade do adversário, apontando o Galo como um time jovem e leve: “O Atlético-MG é um time jovem, com jogadores leves e se tivéssemos entrado com o Madson, o Paulo Baier, o Branquinho, teríamos muito mais dificuldades e levaríamos cinco. Não era o esperado, lamentamos, mas temos que ir com calma, porque foi só o começo”.

O Furacão voltou hoje cedo à Curitiba e o elenco ganha folga neste domingo. Os atletas se reapresentam amanhã, no CT do Caju, onde o treinador dá início aos treinamentos visando o jogo do próximo final de semana, contra o Grêmio, na Arena da Baixada.