A má campanha do Atlético no Campeonato Brasileiro (quatro derrotas e um empate) tem gerado inúmeras especulações sobre possíveis problemas internos no elenco rubro-negro. O técnico Adilson Batista fez questão de tornar público que o grupo não está rachado e que esse tipo de boato só surge nos momentos ruins.

“Aí o time ganha e a imprensa diz que o grupo está unido. Falta entrar a bola, vencer, é ganhar os três primeiros pontos, esses detalhezinhos. Então, com calma, daqui a pouco as coisas encaixam. Posso garantir que o grupo não está rachado. Isso aí é coisa de vocês da imprensa. Alguns de vocês que, às vezes, enxergam um pouquinho mais que a gente, né? Você tem um grupo de 26 jogadores e jogam 11, fica mais uma turma do banco e os outros de fora. É normal. Quem está no futebol sabe disso. Cara feia para mim é fome. Não tenho medo de cara feia”, disse o treinador atleticano.

Outro ponto que Adilson Batista quis deixar claro é sobre uma possível saída dele do Atlético (inclusive a imprensa pernambucana especulou que ele poderia assumir o comando do Sport). “Possibilidades para sair, eu já tive recentemente duas ou três. Meu objetivo é terminar o trabalho, mas eu sei que é resultado. A hora que eu estiver incomodando, sou o primeiro a sair. Tenho essa consciência”, afirmou.

O Furacão segue se preparando para a partida do próximo sábado, contra o Bahia, às 18h30, na Arena da Baixada, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.