Abel Braga minimizou ausência de jogadores conhecidos no elenco do Fluminense (Divulgação)

O técnico Abel Braga se mostrou empolgado com o início da temporada 2017 no Fluminense. Na primeira entrevista coletiva no retorno aos treinos do time carioca, o treinador foi só elogios ao trabalho da diretoria, principalmente no que diz respeito à montagem do elenco.

“Com essa rapaziada que está aqui, o grupo está sensacional. Fora Cavalieri, Renato Chaves e Marquinho, o restante é menino. Não sei como vai ser quando estiverem todos, mas por enquanto está ótimo. O início está bem legal. Eu quero que estes sejam os protagonistas. Está tudo correndo muito bem, a não ser o calor infernal. Mas vamos seguir em frente. A receptividade está positiva”, declarou nesta sexta-feira.

As principais novidades no elenco vieram de fora do Brasil. O Fluminense foi ao mercado sul-americano e contratou dois equatorianos para reforçar o elenco: o volante Jefferson Orejuela e o meia Junior Sornoza, ambos vindos do Independiente Del Valle. Abel garantiu que os dois já estão se adaptando ao Rio e até brincou com a dificuldade de comunicação.

“Eu conversei com o Jefferson e o Junior, os dois equatorianos. Esse negócio de Sornoza, Orejuela, é muito difícil de falar, eu tenho língua presa. Eles estão sentindo muito o calor, como todos, mas o trabalho está muito legal. As condições que o CT oferece são ótimas. Tem jogador na piscina, na hidro, na bacia de gelo, é fantástico. Recuperação muito boa”, comentou.

Nem mesmo a ausência de grandes nomes incomoda Abel neste início de trabalho. “Para brilhar, não precisa de estrela. O torcedor vai entrar no estádio confiante e vai sair satisfeito. Não sei se vai sair sempre feliz, mas nem sempre virão vitórias. Inclusive, em comparação com os rivais, nós fomos os únicos que não contratamos ninguém. Os meninos do Equador já estavam certos desde o ano passado. Essa equipe pode brilhar. Não sei onde ela vai chegar. Estou gostando muito desse grupo. Não tenho esse tipo de preocupação. Eu gosto de trabalhar com garotada, eu também um dia fui jovem como eles.”