Ouça o áudio

Torcida, ex-dirigentes e jogadores. Ninguém escapou da ira do presidente do Atlético, Marcos Malucelli, depois da derrota para o Operário por 2 a 0 na Arena da Baixada. O protesto que veio das arquibancadas em forma de gritos de “vergonha” irritaram o dirigente. “Lamentei muito o comportamento da torcida ao final do jogo, eles estavam torcendo contra o Atlético”, disse Malucelli.

Magoado, o presidente fez alusão ao ex-dirigente Mário Celso Petraglia, conhecido pela sua admnistração controversa. Entre as conquistas mais importantes da história atleticana, Petraglia também se destacou por marcar um período de confrontos com a torcida. “Às vezes eu penso que o melhor então seria a volta daquela censura e ditadura que tinha antes de mim”, desabafou, dizendo que talvez não seja a melhor pessoa para comandar o time, já que os atributos de um presidente deveriam ir além dos interesses do clube.

Malucelli ainda reclamou das críticas, principalmente vindas do ex-presidente. “Quando o Petraglia sentiu que íamos cair em 2008, ele pulou fFuracao.comora, e agora fica criticando”, disparou. Malucelli não nega o baixo rendimento do grupo montado para temporada e garante que o time será reavaliado para a sequência do ano. “Se precisar faremos uma limpa, nem que eu tenha que interferir. Esse time não vai disputar o Campeonato Brasileiro porque nos decepcionou no Paranaense e os jogadores sabiam disso”, avisou Malucelli.

Confira a íntegra da entrevista de Marcos Malucelli ao repórter Osmar Antônio:

Torcida
“Estou muito triste com a derrota, com o comportamento da torcida, que podia ter nos ajudado mais. É muito fácil aplaudir na vitória, eu quero ver solidariedade na derrota e não tivemos isso. Parece que a torcida tá com saudade do tempo da mordaça. Eu penso que se a torcida tiver paciência, a mordaça poderá voltar. Nós temos feito um esforço imenso, temos gastado dinheiro, mas não temos encontrado o resultado esperado. A torcida quer e eu também quero vitórias, você acha que eu quero sair como presidente derrotado? Claro que não. Lamento muito o comportamento da torcida, com ofensas a mim mesmo.”

Mário Celso Petraglia
“O comportamento de hoje da torcida eu acho completamente absurdo, mas dezembro tá aí e a torcida terá oportunidade de fazer voltar o que tínhamos há dois anos e meio atrás… o autoritarismo, a torcida afastada do time, o próprio time era ruim. Quando eu assumi em setembro de 2008, estávamos praticamente rebaixados. O presidente do Conselho Deliberativo desertou o clube, deixou a responsabilidade para mim porque era mais fácil fugir do que continuar e hoje fica aí nos atacando pelo Twiter. E há quem acredite no canto da sereia. Eu lamento muito, mas não vou abandonar o barco, isso eu posso garantir. Vou levar até dezembro.”

Eleições em dezembro
“Teremos eleições em dezembro, eu não sou candidato, já falei há muito tempo. Mas espero que a gente tenha um candidato da situação, mas se não tivermos, aí fica livre pra quem hoje critica retornar e fazer o que não fez nos últimos anos. E vai encontrar um clube bem melhor financeiramente, nós não temos mais dívidas. Temos um time, mas não um time competitivo, infelizmente. Claro que eu queria o Atlético conquistando o segundo turno, o que é quase impossível.”

Decepção
“Lamento muito o comportamento dos nossos ex-diretores desertores, que hoje se tornaram opositores e que ficam atacando o tempo todo, esquecendo-se que nos entregaram um clube quebrado, na iminência de ser rebaixado. Mas isso parece que foge à memória do torcedor, por isso lamentei muito o comportamento do torcedor hoje. Fiquei realmente decepcionado, só não abandono o barco porque temos pouco tempo pela frente. E vou tocar meu trabalho com dignidade. Mas realmente quero me ver longe desse meio.”

Oposição e situação política do clube
“A situção de oposição atrapalha sim, temos um ex-presidente que ataca todo mundo, principalmente a mim, às vezes com baixo nível ao qual eu não pretendo aderir. Alguns torcedores acabam comprando essa posição. Nós vimos hoje um comportamento absurdo, lamentei muito principalmente da torcida organizada, que sempre apoiou muito o clube. O comportamento de hoje não foi de quem apoiou o Atlético, pelo contrário, foi de quem torcia contra. Isso é lamentável, mas é fruto da situação política e da oposição que nos faz um ex-presidente que saiu do clube escurraçado, tocado pela torcida, mas agora parece que ele é a salvação, quando na verdade é a pior coisa que pode nos acontecer a volta dele, com seu autoritarismo. A torcida sofreu e sofrerá, mas é o que eles querem pelo visto.”

Críticas ao seu trabalho
“Parece que só importa a crítica, estou profundamente chateado. Já disse que não sou candidato e jamais serei candidato a qualquer coisa dentro do Atlético. É muito triste a gente dar o máximo possível e ter que ouvir o que eu ouvi hoje, é triste demais. Eu penso que o que eles merecem é a volta do que tínhamos há dois anos e meio. Eu não sou a pessoa indicada para exercer esse cargo de presidente, tem que ser alguém com interesses além do clube.”

Reformulação no elenco
“Eu não vou fazer análise individual dos jogadores, porque isso não é bom de ser feito em público. A situação de hoje nos mostra que não temos um bom time mesmo. Nós vamos fazer uma limpa nesse elenco, nós não prosseguiremos o ano com esse plantel. Nem que eu tenha que interferir em contratações. Esse time não atende nossas exigências e teremos outro time para o Campeonato Brasileiro, porque esses jogadores nos decepcionaram no Paranaense.”