Domingão de Dia dos Pais (parabéns aos papais do mundo) e as Olimpíadas comendo solto. Chegamos nas semifinais do futebol, tanto ne feminino (que sufoco!!!) quanto no masculino. Voleibol feminino atropelou e hoje só decide o primeiro lugar do grupo contra a Rússia. Os homens vacilaram e amanhã jogam a vida contra a França. Na praia, uma dupla masculina e as duas femininas nas quartas de final (cheiro de medalha). Tênis, Bolt, vela, boxe… são tantas emoções…

Futebol chegou nas semis

As meninas fizeram um jogo muito tenso contra a Austrália, e depois de 120 minutos de bola rolando sem gols, decidiram a vida nos pênaltis. Com direito a pênalti perdido pela craque Marta. Mas a goleira Bárbara salvou a lavoura, defendeu duas cobranças das australianas e nos colocou na semifinal, terça, no Maracanã. Era prá ser contra os EUA, mas as americanas deram mole e perderam para a Suécia, em quem nós já enfiamos cinco na primeira fase. Mas agora é outro jogo, outra realidade. Mas que é bem melhor do que encarar os Estados Unidos lá isso é verdade.
O futebol masculino se reencontrou. Depois dos dois empates iniciais sem gols, enfiou quatro na Dinamarca, e ontem, na Arena do Corinthians, fez 2 a 0 nos violentos colombianos e se garantiu na semifinal. Quarta, no Maraca, pega a surpreendente Honduras, que já despachou os argentinos. Com cuidado e respeito, mas vamos prá cima dos hondurenho buscar nossa vaga na final.
Os meninos suportaram a imensa pressão dos primeiros jogos e voltaram a jogar bem. Nenhum gol tomado, mesmo com uma equipe super ofensiva. Seis gols marcados. Os quatro da frente (Luan, Neymar, Gabriel Jesus e Gabigol) se entendendo melhor, e fazendo os gols. Já foram seis em dois jogos. Pode pintar o sonhado e inédito ouro.

Voleibol de quadra com realidades opostas

As meninas já estão na boa. Quatro vitórias, classificação garantida, e hoje só decide o primeiro lugar contra a Rússia. Time encorpado e rendendo bem. Independente do resultado de hoje, deve passar pelas quartas de final com certa tranquilidade. Na semi, aí a coisa aperta. Mas tá com jeitão de finalista. E de ouro também.
A rapaziada se enroscou. Venceu México e Canadá, mas perdeu para os EUA e Itália em seguida. Amanhã enfrenta a França. Se perder, pode ficar pelo caminho. Uma vitória classifica. Independente de qual posição classificar, e de quem for o próximo adversário, o time precisa buscar a regularidade, que ainda não encontrou. Pedreira pela frente. A medalha parece meio distante nesse momento.

Muita coisa rolando…

Nas areias, nosso voleibol vai bem. As duas duplas femininas estão nas quartas, e uma do masculino. Boas chances de medalhas.
O basquete masculino teve duas grandes chances de vencer a Argentina, vacilou, e enfrentou duas prorrogações. Quando tiveram a chance, os Hermanos não desperdiçaram. Com a derrota a coisa ficou preta para o Brasil, que pode nem passar pela primeira fase. Se passar, pega os Estados Unidos nas quartas de final. Em resumo: medalha já era.
O handebol – feminino e masculino – do Brasil vai para a outra fase. Daí prá frente é pedreira pura. As meninas parecem ter boas chances de chegar na disputa das medalhas. Para os homens a coisa parece mais difícil.
Atletismo começou, e para os brasileiros poucas esperanças. Mas podemos ser felizes vendo Usain Bolt nas pistas. O cara é gênio.
E tem muito mais. Segue o baile…