O futebol masculino estreou ontem nos Jogos Olímpicos. E com um empate frustrante. Um 0x0 contra a África do Sul, sem brilho, e com pouca objetividade. O primeiro jogo de qualquer competição sempre é carregado de tensão e emoção, especialmente para um grupo jovem como esse.

Durante o jogo todo não percebi na equipe brasileira a intensidade que apresentou no primeiro tempo do amistoso contra o Japão, uma semana atrás. A pressão alta na marcação e a velocidade na transição ao ataque não foram percebidas, principalmente na primeira etapa.

No segundo tempo os africanos tiveram um jogador expulso, e a partir daí o Brasil encontrou mais espaço. Pressionou e criou boas chances de gol. Gabigol e, em especial, Gabriel Jesus, desperdiçaram chances incríveis, de cara para o gol. O palmeirense inclusive esteve de frente para o gol vazio e acertou a trave.

Individualmente poucos brilharam. Neymar esteve apagado, longe do nível de suas atuações anteriores pela Seleção. Espera-se uma produção bem melhor contra o Iraque, no próximo domingo, as 22h, em Brasília. Cabe aos comandados de Rogério Micale fazer uma apresentação que empolgue o povo, e credencie a equipe ao ouro olímpico.