Foto: Netflix/Divulgação

 

Os criadores da série americana Stranger Things, os irmãos Matt e Ross Duffer, foram acusados judicialmente de plágio pelo diretor Charlie Kessler. O processo foi apresentado nessa terça-feira, 3, em uma corte de Los Anegeles, nos Estados Unidos.

Charlies Kessler sustenta que os irmãos Duffer se apropriaram de uma ideia sua sobre a qual conversaram em 2014 durante uma festa no Festival de Cinema de Tribeca. Segundo o diretor, Stranger Things plagiou Montauk (2012), curta-metragem sobre fenômenos paranormais. A produção seria o primeiro passo para um hipotético filme intitulado The Montauk Project.

O diretor assegura que a conversa com os Duffer aconteceu “dentro das práticas da indústria do entretenimento”, as quais estabeleciam que os irmãos não poderiam divulgar, usar ou aproveitar as ideias contadas por Kessler sem a sua permissão ou sem oferecer uma compensação financeira.

Na sua argumentação, Kessler afirma que, quando foi vendida para a Netflix, a série Stranger Things tinha como título provisório The Montauk Project.

Kessler exigiu uma indenização e que se destruam todos os materiais que os Duffer tenham de Stranger Things que estejam baseados em suas ideias.

Os irmãos Duffer e a Netflix ainda não se pronunciaram sobre o caso.

Protagonizada por David Harbour, Winona Ryder e Millie Bobby Brown, a série de ficção científica acompanha as aventuras de um grupo de crianças que se envolvem com criaturas sobrenaturais na fictícia cidade de Hawkins, nos Estados Unidos. A terceira temporada foi confirmada para 2019.