Casagrande fez um desabafo ao vivo na TV – Reprodução

Quem acompanha futebol nas redes sociais deve ter se deparado com o post do palmeirense William de Lucca, que se queixou dos cantos homofóbicos da torcida alviverde durante o jogo contra o São Paulo, no Allianz Parque.

Torcedor do Palmeiras que postou desabafo na web – reprodução

No post, que viralizou, o torcedor diz: “A torcida do Palmeiras, em sua homofobia típica, canta que ‘todo viado nessa terra é tricolor’. Parece que encontrei uma exceção a regra: eu mesmo, viado e palmeirense, e que cola no estádio em TODOS os jogos.”

Após a repercussão, o jovem deu uma entrevista ao programa Seleção SportTV e emocionou Walter Casagrande, que fez um desabafo pessoal. O comentarista apontou que a dor é parecida de quando ele é ofendido por histórico de dependência química.

“Essa atitude foi fantástica. Apoiei e gostei muito. A pessoa que está em casa pode achar muito fáci defender ou atacar, porque não sente na pele. Eu sinto na pele porque sou dependente químico. O que me ofendem nas redes sociais, me chamam de viciado, drogado… Não posso falar nada de ninguém por causa do meu passado. Quem sou eu para falar de alguém se fiquei internado. Eu sofro isso diariamente”, disse.

O ex-jogador disse ter sofrido esse tipo de ataque quando criticou abertamente Neymar. Na ocasião, Casão disse que a imprensa e os torcedores “passam a mão o tempo todo” no atacante do PSG.

“Coisa simples, fiz um comentário dentro do futebol, as ofensas contra mim vieram nesse sentido: drogado, viciado. Sei o que esse rapaz sofre, de outra maneira. Dói do mesmo jeito. A dor que ele sente quando é ofendido em redes sociais é a mesma que eu sinto. Só eu sei o quanto me esforço para não usar droga”, declarou o comentarista.

Assista aqui ao vídeo com a fala de Casagrande