Decisão da 19ª Câmara Cível do Rio de Janeiro, na última terça-feira, 2, negou recurso de Xuxa Meneghel em ação movida contra o Google que tramita desde 2010.

Reprodução Instagram

A apresentadora tentava obrigar a empresa de tecnologia a remover buscas em que seu nome seja relacionado ao crime de pedofilia ou “escrito parcial ou integralmente, e independentemente de grafia, se correta ou equivocada, a uma prática criminosa qualquer”.

A polêmica gira em torno da participação de Xuxa no filme ‘Amor, Estranho Amor’, longa de 1982 em que a apresentadora aparece seminua na cama de um menino menor de idade.

O texto da decisão do processo, em segunda instância, diz que “por unanimidade, após rejeitadas as preliminares, no mérito, negou-se provimento ao recurso, nos termos do voto” da desembargadora relatora Valeria Dacheux Nascimento.

Xuxa teme que a polêmica atrapalhe sua carreira com o público infantil e por isso procura censurar esse episódio de seu passado profissional. Em 2013, a apresentadora venceu um processo que impediu a Cinearte Produções, distribuidora do filme, de relançar o longa.