Reprodução

Regina Duarte foi convidada pelo Centro Cultural Banco do Brasil do Rio para dar uma palestra em homenagem aos 45 anos de carreira dela, nessa terça-feira. Em um bate-papo com o Glamurama, ficou nítido que a paixão dela por atuar continua a mesma. A gente quis saber: por que, depois de décadas emendando um papel em outro, hoje ela faz apenas trabalhos pontuais, com um grande intervalo entre eles?

* Regina respirou fundo antes de responder. “Estou em um momento de transição, um período sabático. Às vezes, tenho muita vontade de trabalhar, mas não sou mais chamada. Em outros, penso em produzir [teatro], mas estou sem vontade de encarar os entraves burocráticos para levantar grana. Fico esperando que alguém me convide”, disse.

* Segundo a atriz, que já foi chamada de “a namoradinha do Brasil”, isso não está acontecendo. “Já fiz muita coisa maravilhosa e hoje sinto que o espaço nas telenovelas é para outras pessoas. Tenho que me adequar a isso. Aceitar participações de um capítulo [ela acaba de gravar participação na minissérie ‘As Cariocas’]. Talvez nunca mais eu faça uma protagonista”, disse Regina, visivelmente melancólica.

* Com o olhar triste, ela faz as contas: “Tenho 63 anos e 45 de carreira. Passei dois terços da minha vida trabalhando sem parar. Senti que tinha uma dívida de tempo com minha família. Então, fico querendo repor afeto, atenção. Estou me debatendo entre tudo isso, sabe? Tem um ajuste aí que precisa ser vivido. Mas quero ser atriz até o último dia da minha vida”