Reprodução

A cantora Sandy participou do Domingão do Faustão neste domingo (22) e comentou alguns aspectos polêmicos de sua carreira e vida pessoal, como o fato de ter uma imagem associada à virgindade. “Eu admito minhas culpas. Até uma certa idade eu era ingênua, então eu acabava até mentindo sobre minha vida pessoal para não ter que revelar alguma coisa que eu não queria que se tornasse público”, diz ela.
“Eu fui aprendendo a ser mais reservada e me fechei muito até. Depois eu consegui chegar num ponto de equilíbrio maior. Hoje eu falo algumas coisas que eu vou dar conta de ver na capa de uma revista, outras não”, explica ela. “O fato de eu ter sido mais reservada deu mais margens a boatos”.
Questionada por uma espectadora sobre a imagem de menina mimada, Sandy admitiu que nasceu em “berço de ouro”, embora tenha plena consciência da realidade do País.
“Eu nunca passei fome porque meu pai passou antes e fez tudo o que ele pôde para que eu não passasse também. Quando ele queria comer carne, tinha que caçar um animalzinho. Ele comia farinha com água para encher a barriga”, conta.
Criticada por outra mulher sobre o fato de fazer músicas consideradas “chatas”, Sandy disse que ela está no seu direito. “A música é uma questão de gosto. Eu gosto desse tipo de música que eu estou fazendo e acho que tem um público maior que está se identificando com esse trabalho. Eu já disse em entrevistas que eu quero o público que me quiser”.
Sobre os convites para posar nua, a cantora foi enfática: “eu fico lisonjeada porque tem homens que querem me ver nua. Mas eu acho que meu corpo é pra mim e para eu mostrar para quem eu quiser, que no caso é o meu marido”.