da Coluna de Leo Dias

Foto de arquivo do casamento de Bruno e Priscila

Em agosto do ano passado, o colunista Leo Dias noticiou o suposto abuso cometido pelo namorado da ex-BBB Priscila Pires contra os dois enteados, de 3 e 4 anos. O caso, que foi parar na delegacia, agora vai ser apreciado pelo Ministério Público. E, pela primeira vez, tanto Priscila quanto Bruno Andrade, pai das crianças, resolveram falar sobre o caso, que corre em segredo de Justiça. A coluna, que não está aqui para julgar nenhum dos dois lados, publica hoje duas entrevistas: uma com Priscila e outra com Bruno. Confira.

PRISCILA PIRES

Por que todo esse processo?
Tudo com o objetivo de tirar as crianças de mim. Eles têm uma obsessão com isso. No começo, eu achava que eles amavam demais os meninos e por isso estavam fazendo essas coisas… Mas hoje eu acho que não é amor. Sempre fiquei quieta. Vocês já me procuraram e eu não quis falar porque meus filhos vão crescer, entrar no Google e ver esses absurdos que o pai deles vem fazendo.

Vocês não conseguem ter uma relação saudável?
A gente podia ter uma relação super legal e criar os meninos de uma forma muito legal… Eu nunca neguei nada. Sempre deixei eles fazerem o que quisessem com os meninos. Não tinha necessidade de fazer isso só porque eu comecei a me relacionar e meu relacionamento deu certo. Aí você vai lá e vai e faz toda essa maldade tentando acabar com a vida dessa mulher? Tenho um acordo feito na separação para a gente tentar uma relação harmoniosa com as crianças. Ano passado nós dividimos as férias escolares das crianças. Ele pegou os meninos e não devolveu! Tive que fazer um boletim de ocorrência!

A entrevista na íntegra de Priscila você lê aqui

BRUNO ANDRADE

Baseado em que você denunciou o atual namorado da Priscila Pires?
Eu ouvi relato dos meus filhos, apelos deles com relação ao que estava acontecendo e eu tomei as medidas cabíveis. Como pai, tenho o direito de defender meus filhos e o dever. Nós levamos os meninos ao Conselho Tutelar e eles foram submetidos a psicólogos e encaminhados para a delegacia especializada, a DPCA. Foi aberto uma investigação correta e coerente. Qualquer dúvida tem que ser perguntada ao delegado que cuida disso há oito meses. Foram oito meses de sofrimento que nós passamos com isso. Todas as provas, o vídeo… Tudo foi periciado. Todas as oitivas foram feitas de acordo com o que a Justiça manda. Não existem acusações minhas ou trocas de farpas. Existem fatos relatados pelos meus filhos, que são duas crianças. Na minha função de pai, levei às autoridades competentes e elas estão cuidado do caso.

O que tem nesse vídeo?
O conteúdo do vídeo está em segredo de Justiça, mas acho que ele é muito constrangedor. Essas provas estão na Justiça. É uma situação chata, mas os meus filhos já foram ouvidos várias vezes.

A entrevista na íntegra de Bruno você lê aqui