Sthefany Brito quebrou o silêncio e concedeu uma entrevista ao colunista Bruno Astuto do jornal “O Dia” desta segunda-feira (29) em que falou sobre o fim de seu casamento com o jogador de futebol Alexandre Pato e o divórcio litigioso.

“Não fui eu que comecei essa história de pensão. Não sou coitadinha, muito menos uma Maria Chuteira; recebo salário desde os sete anos de idade. As pessoas sabem que eu sempre trabalhei. Nas ruas, me pedem para voltar logo, dizem que eu estou fazendo falta. O público é generoso, torce pela gente, e eu só encontrei respeito, carinho e muita energia boa”, disse.

Questionada sobre o fato de ter pleiteado uma pensão de R$ 130 mil, ela respondeu: “A verdade é que eu não pleiteei nada. O que aconteceu é que, quando eu deixei a Itália para o Brasil, fui surpreendida com um oficial de Justiça me notificando sobre um processo em que eu era ré. Um divórcio litigioso. Então, o que faz uma pessoa quando é acionada na Justiça? Contrata um advogado, que vai defendê-la. Foi o que eu fiz. E a juíza atribuiu um valor a isso. Mas hoje as leis são iguais para homens e mulheres. Se ele, de repente, tivesse aberto mão da carreira para morar no Brasil, talvez hoje eu que seria obrigada a pagar pensão até que ele conseguisse voltar a trabalhar.”

Fim do casamento

A atriz também falou sobre o que a fez se separar. “Ele não correspondeu ao que eu esperava de um marido e eu talvez não tenha correspondido ao que ele esperava de uma mulher. Nós tínhamos um projeto de vida, que só seria possível se eu me mudasse para a Itália, onde ele joga. Tive que me adaptar às mudanças, e me sentia muito só, longe dos meus amigos, da minha família e, principalmente, da minha carreira. Mas não deu para conciliar nesse começo. Com 22 anos, você não quer solidão para a sua vida, né?”

Sthefany afirma ainda que não houve momentos de desespero, mas, sim, de tristeza. “Essa foi só uma página da minha vida. Tenho sorte de ter uma casa, uma família que me ama, amigos fiéis. Acho que a gente tem que se preocupar com problemas muito maiores, como essa onda de violência no Rio, por exemplo. Isso, sim, para mim é desesperador. Mas também vai passar, se Deus quiser.”

A atriz também justificou seu silêncio. “Cada pessoa tem seu tempo para digerir as coisas; eu resolvi me dar esse tempo. Ninguém gosta de se mostrar frágil e vulnerável. Foi muita exposição com essa história de separação, muito exagerada para o tamanho que ela realmente tem”, afirmou. Ela negou ter mágoas da imprensa: “Minha relação com a imprensa sempre foi maravilhosa. A maioria dos editores, dos jornalistas, eu conheço desde pequenininha, desde que eu comecei minha carreira.”

Futuro profissional

Sthefany acredita que “de jeito nenhum” sofreu algum tipo de retaliação por ter deixado a carreira para morar na Itália. “Entre 2001 e 2007, não teve um ano em que eu não estivesse no ar. Foram seis novelas, um programa, que foi a ‘TV Globinho’, um seriado, quatro filmes e três peças de teatro. Eu fiquei só um ano e meio fora do ar, não é tanto tempo assim, muita gente fica muito mais que isso. Vinha emendando um trabalho atrás do outro, então era justo dar um tempo para me dedicar à minha vida pessoal. Passei praticamente toda minha infância e a minha adolescência no Projac, a Globo sempre foi minha segunda casa. Enquanto as minhas amigas iam para o parque ou para o shopping, eu estava trabalhando, estudando os textos. Mas não me arrependo; o trabalho me deu muita disciplina, me fez amadurecer. Eu amo a minha carreira, tenho muito orgulho dela e sei que ainda tem muita coisa por vir”, afirmou.

Sobre os próximos passos, ela conta que está lendo duas peças. “Se pintar uma novela, eu faço. Adoro televisão, cresci fazendo TV, ela faz parte da minha história. Trabalhei com autores e atores maravilhosos.”

Novo amor

Sthefany afirma que ainda não encontrou um novo amor. “Mas também não estou procurando”, disse. A atriz está solteira desde a separação, em abril deste ano. O casamento durou nove meses. Alexandre Pato viveu um rápido romance com a Miss Brasil 2010 Débora Lyra.

Reprodução