Reprodução

Neymar, o craque e polêmico jogador do Santos, conta à revista “Contigo”, que chega às bancas nesta quarta-feira, 29, que paga alguns preços pela fama como não poder ir ao shopping em paz, nem ir a um restaurante. “Achava que quem era famoso podia fazer tudo o que quisesse, mas é bem o contrário. Não pode fazer nada”, lamentou o jogador. “Aqui em Santos não consigo sair, acaba virando um tumulto.”

Nem o sucesso com as garotas – que comparecem em peso a cada treino, a cada jogo para tietá-lo -, o atacante aproveita muito. “Estou carente. Mas não posso dar bola para qualquer uma, não, tenho que me fazer de difícil”, diverte-se. “Quando eu conheço uma menina, sempre tenho um pé atrás. Mas aí vamos nos conhecendo para ver no que dá. Já namorei três vezes. Só que nesse momento estou sossegado, solteiro. Pode colocar aí que eu estou carente. Mas não posso dar bola para qualquer uma, não, tenho que me fazer de difícil”

Apesar de tudo, ele não se queixa de ser a bola da vez e do assédio da imprensa. “Não tem nada ruim na minha vida, só coisas boas. Eu dou entrevistas, apareço na televisão, não é legal?”

O pai, que também se chama Neymar, cuida da carreira e da grana do filho bom de bola. Além disso, segundo o próprio Júnior, ele é um parceiro para tudo. “Eu só jogo a minha bola e deixo o resto com ele”, contou à publicação. “Quando quero comprar algo, conversamos e a gente decide junto.”